Presidente do Brasil anunciou que ficou decidida a aceleração do processo de auditoria nos estabelecimentos citados na investigação da Polícia Federal

Michel Temer, fez declaração sobre a operação Carne Fraca após reunir-se com Blairo Maggi e Marcos Pereira
Divulgação/Twitter Palácio do Planalto
Michel Temer, fez declaração sobre a operação Carne Fraca após reunir-se com Blairo Maggi e Marcos Pereira

Após reunião com os ministros Blairo Maggi e Marcos Pereira, da Agricultura e da Indústria e Comércio Exterior, respectivamente, além de representantes de associações de produtores de carne na tarde deste domingo (19), o presidente Michel Temer fez algumas declarações sobre a Operação Carne Fraca, da Polícia Federal. De acordo com Temer, foram debatidas medidas relativas às investigações, como a força-tarefa para auditar os frigoríficos.

Leia também: Temer recebe ligação de Trump para falar sobre reformas em curso nos países

“Nós tomamos várias deliberações hoje, a primeira é que decidiu-se acelerar o processo de auditoria nos estabelecimentos citados na investigação da PF, que são na verdade 21 unidades no total. Três delas foram suspensas e todas as 21 serão imediatamente colocadas sobre regime especial de fiscalização”, disse o presidente sobre a Operação Carne Fraca. 

O presidente do País também minimizou o desvio de conduta dos funcionários do Ministério da Agricultura, pois, segundo ele, "apenas 33 estão sendo investigados". Além disso, Temer defendeu a qualidade da inspeção da carne. "O ministério da Agricultura tem rigoroso serviço de inspeção de todos os produtos de origem animal, esse padrão de excelência abriu as portas em mais de 150 países", afirmou. 

Leia também: Dinheiro recuperado pela Lava Jato no Rio será usado para pagar aposentados

Maggi, que também participou do pronunciamento, por sua vez, disse que “o sistema que o Brasil tem é robusto, forte, porém não é infalível quando trabalhamos com pessoas”. Além disso, o ministro pediu para que os importadores não façam embargo aos produtos do País. 

"Vamos colocar no nosso site quais foram os países que essas empresas [citadas pela PF] mandaram seus produtos e quais foram esses produtos. E se precisarmos recolher, faremos com toda a tranquilidade. Então peço que nos ajudem. Ajudem o Brasil neste momento. O agronegócio segura nosso País, gera milhões de empregos. 40% das exportações de aves no mundo saem do Brasil", afirmou.

O ministro da Agricultura disse também que "não há problema nenhum nos produtos de origem animal inspecionados pelo ministerio da agricultura". Em relação à troca de fiscais que havia sido descrita no inquérito da Polícia Federal, Maggi afirmou que vai identificar o motivo da troca para entender se alguém decidiu arbitrariamente trocar o fiscal. 

Leia também: Mais três instituições de ensino superior portuguesas passam a aceitar o Enem

Para finalizar sua declaração, Temer convidou os presentes, incluindo alguns embaixadores de países importadores de carne brasileira, a comer em uma churrascaria. "Quem puder comer uma carne brasileira, vamos ao Steak Bull", completou.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.