Estado capixaba sofre onda de violência e de insegurança desde o início da greve dos policiais militares, na sexta; PM trocou de chefia nesta segunda

Forças Armadas serão enviadas ao Espírito Santo para conter o caos instalado após o início da greve dos PMs
Agência Brasil
Forças Armadas serão enviadas ao Espírito Santo para conter o caos instalado após o início da greve dos PMs

O presidente da República Michel Temer (PMDB) confirmou o envio das Forças Armadas e da Força Nacional de Segurança Pública ao Espírito Santo. O pedido de reforço na segurança foi feito na manhã desta segunda-feira (6)  pelo governo do estado capixaba.

O Espírito Santo sofre, desde a última sexta-feira (3) uma onda de violência devido à falta de policiamento nas ruas de todo o estado. A paralisação da Polícia Militar (PM) começou também na sexta.

Segundo o Código Penal Militar, os policiais militares não podem entrar em greve, participar de qualquer ato político, manifestação ou paralisar suas atividades. Por isso, são os familiares dos agentes da PM que estão na frente dos quartéis, exigindo benefícios para os policiais.

Com isso, nem as viaturas e nem os agentes têm conseguido deixar os quartéis e as ruas estão sem nenhum policiamento. Por conta disso, nesse fim de semana, foram registrados diversos roubos e tentativas de homicídio em todo o estado.

Nesta segunda, o coronel Laércio Oliveira deixou o posto, com menos de um mês de cargo. Quem vai assumir a chefia da PM no estado agora é o coronel Nilton. A confirmação do envio das Forças Armadas ao estado foi divulgada pela Rádio Bandeirantes.

A greve foi decretada ilegal pela Justiça e já foi determinado que os manifestantes saíssem das portas dos quartéis.

LEIA MAIS: Servidores fazem nova manifestação contra pacote de medidas do governo do Rio de Janeiro

Além de reajuste salarial, as famílias dos PMs pedem o pagamento de auxílio alimentação, periculosidade, insalubridade e adicional noturno. Também são denunciados o sucateamento da frota e falta de perspectiva de carreira.

Caos nas ruas

Com a falta de policiamento nas ruas, as voltas às aulas foram suspensas na maioria das escolas públicas e particulares do estado e a recomendação é que a população procure não sair de casa. Em Vitória, o atendimento médico também está paralisado por conta da violência.

LEIA MAIS: Rebelião em prisão no Rio Grande do Sul deixa dois presos mortos

Nas redes sociais, o termo "Espírito Santo" e as hashtags #ESpedesocorro e #PrayForES amanheceram no topo dos Trending Topics (TTs), sendo os assuntos mais comentados no Twitter. Os internautas também questionam a falta de cobertura da imprensa no caso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.