Candidato do PMDB irá substituir o senador Renan Calheiros no comando da Casa; segundo colocado, José Medeiros (PSD-MT) teve apenas dez sufrágios

Peemedebista Eunício Oliveira é tido como favorito para suceder Renan Calheiros no comando dos trabalhos no Senado
Agência Brasil
Peemedebista Eunício Oliveira é tido como favorito para suceder Renan Calheiros no comando dos trabalhos no Senado

O senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) foi eleito na noite desta quarta-feira (1º) como presidente do Senado para o biênio 2017/2018. Eunício teve 61 votos e venceu o senador José Medeiros (PSD-MT), que conquistou o apoio de dez parlamentares. Outros dez votaram em branco.

LEIA MAIS: Senado elege quem assumirá a presidência da Casa após Renan Calheiros

A eleição confirmou o favoritismo do peemedebista e confere ao PMDB um domínio de 12 anos no comando da Casa. Eunício substitui o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) no cargo. Calheiros passará a ocupar a liderança do partido no Senado , cargo antes ocupado por Eunício.

Por enquanto, há acordo para os primeiros cargos da Mesa. Assim, a 1ª Vice-Presidência será ocupada por Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), a 2ª Vice-Presidência será de João Alberto Souza (PMDB-MA) e a 1ª Secretaria ficará com José Pimentel (PT-CE). Gladson Camelli (PP-AC) ficou com a 2ª Secretaria; e Antônio Carlos Valadares (PSB-PB) e Zezé Perrela (PMDB-MG) foram eleitos para a 3ª e 4ª secretarias, respectivamente.

A escolha do novo presidente do Senado é feita por meio do sistema de urnas eletrônicas, com identificação de biometria e senha, e deve ter duração máxima de duas horas. Os senadores serão chamados nominalmente para votar na urna. Eles terão de digitar seu código pessoal e identificar-se biometricamente. Depois disso, devem escolher a foto de um dos dois candidatos, ou votar em branco. É preciso confirmar o voto para encerrar o procedimento.

Convocados nominalmente para a votação, que teve início às 18h44, os senadores são chamados por ordem de antiguidade de seus estados. Os primeiros a votar foram os da Bahia, seguidos pelos representantes de Rio de Janeiro.

Renan pediu que os senadores permaneçam no plenário após a votação, para que a os integrantes dos demais cargos da mesa sejam eleitos.

Discursos dos candidatos

O senador José Medeiros (PSD-MT) propõe que os senadores sejam
Reprodução/Agência Brasil - 01.02.2017
O senador José Medeiros (PSD-MT) propõe que os senadores sejam "plantadores de sonhos".

Por volta das 17h45, o senador José Medeiros (PSD-MT) foi chamado para dar sua palavra para defender sua candidatura. Durante sua fala, ele defendeu que "este é o momento de definir rumos e caminhos para a legislatura, projetando de volta ao País a imagem que deseja ostentar pelos próximos dois anos." O candidato à presidência da Casa também afirmou que o Senado brasileiro precisa ser "radicalmente democrático". 

O candidato afirmou que sua candidatura não surgiu de sua vontade, mas sim de um bloco de senadores que desejava ao menos duas opções para votar. " O que me preocupa é esta instituição, seu fortalecimento e sua unidade", delcarou. 

José Medeiros enfatizou que não pode ter como pilares a defesa da ética, uma vez que isso tem que ser básico. "Não contem comigo para sapatear em questões desse tipo", enalteceu. O discurso acabou por volta das 18h10, depois de o senador do PSD fazer suas propostas. O tom de sua fala é apaziguador com Eunício Oliveira, o outro candidato. 

O senador Eunício Oliveira começou o discurso destacando sua experiência na vida pública, havendo passado por três vezes no cargo da Casa. Também falou sobre o período que Brasil atravessa, classificando-o como um dos mais difíceis da História, defendendo que é preciso resgatar a confiança dos cidadãos. “A cada crise temos a oportunidade de reafirmar nosso compromisso com a democracia”, declarou.

Eunício fala suas propostas como candidato à presidência do Senado
Reprodução/TV Senado - 01.02.2017
Eunício fala suas propostas como candidato à presidência do Senado

Um dos tópicos abordados pelo senador peemedebista foi a Previdência Social. Segundo ele, a reforma é necessária para salvar o sistema. "Não é uma imposição, é sim uma urgência. A Previdência está quebrada". No contexto de pautas urgentes, o candidato também destacou a renovação do regime interno da Casa, a qual defende fortemente.

Em outro momento de seu discurso, Eunício afirmou que em 2017 o "Senado deve ser um dos protagonistas no esforço de recompor a economia do País", disse. Já no final de sua fala, ele defendeu que os senadores trabalhem para assegurar o equilíbrio dos Três Poderes vá em direção ao bem do Brasil, para a luta contra a corrupção. Por volta das 18h35, ele encerrou sua fala afirmando que "não navegará sozinho", citando Ulysses Guimarães (PMDB) e um trecho do poema do português Fernando Pessoa. "Navegar é preciso", declamou. 

Líderes e mudanças de partidos são anunciadas

Depois do discurso dos candidatos à presidência da Casa, foram anunciadas algumas mudanças de partidos. O senador Gladson Cameli (PP-AC) leu um ofício enviado pela liderança do PMDB, confirmando que Renan Calheiros será o líder do partido a partir desta quarta-feira. 

Já a liderança do PSDB será exercida pelo senador Paulo Bauer (PSDB-SC). O senador Omar Aziz (PSD-AM) será o líder de seu partido. O PTB terá como líder o senador Armando Monteiro. Também foram oficializados os nomes de Vicentinho Alves para líder do PR, de Ronaldo Caiado para líder do Democratas. Benedito de Lira será o líder do PP. Veja como ficou:

Novos líderes das bancadas:

Renan Calheiros (PMDB/AL)
Armando Monteiro (PTB/PE)
Omar Aziz (PSD/AM)
Vicentinho Alves (PR/TO)
Ronaldo Caiado (DEM/GO)
Benedito de Lira (PP/AL)

Mudanças anunciadas em Plenário:

Eduardo Amorim (SE) PSC vai para o PSDB
Elmano Férrer (PI) vai do PTB para o PMDB
Lasier Martins (RS) vai PDT para o PSD
Thieres Pinto (RR) vai do PDT para o PTB

Renan Calheiros

O favorito para ficar com a vaga de Renan Calheiros (PMDB-AL) na liderança é seu correligionário Eunício Oliveira (CE), que deve ter como seu principal adversário José Medeiros (PSD-MT). O nome de Roberto Requião é outro que foi ventilado nos corredores do Senado Federal.

LEIA MAIS: Senadores decidem não cumprir decisão que afastou Renan Calheiros

Renan Calheiros é anunciado oficialmente como líder do PMDB, depois de deixar cargo de presidente da Casa
Marcos Oliveira/Agência Senado - 7.10.2014
Renan Calheiros é anunciado oficialmente como líder do PMDB, depois de deixar cargo de presidente da Casa

O presidente do Senado, Renan Calheiros, elogiou a indicação e disse ter certeza de que o colega, se eleito, fará um bom mandato. "O Eunício tem experiência, liderança e espírito público. Saberá conduzir o Senado neste momento particularmente muito difícil da vida nacional.", disse.

A reunião do PMDB também serviu para que os correligionários escolhessem Renan Calheiros como novo líder do partido. O atual presidente do Senado agradeceu, mas não confirmou se aceitará o posto.  "Estou refletindo e conversando para que não tenha divisão do partido. Tenho até amanhã para decidir. Quero colaborar com o partido e com o Brasil.", finalizou Calheiros.

*Com informações da Agência Brasil e Agência Senado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.