Expectativa é de que a presidente do Supremo determine o sorteio eletrônico da relatoria entre os integrantes do colegiado integrado por Teori

Antes do sorteio, deve ser confirmada a transferência do ministro Edson Fachin, da Primeira Turma para a Segunda Turma
Divulgação/STF
Antes do sorteio, deve ser confirmada a transferência do ministro Edson Fachin, da Primeira Turma para a Segunda Turma

Após uma espera de quase três semanas, que começou com a morte do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, o nome do novo relator dos processos da Operação Lava Jato deverá ser divulgado nesta quarta-feira (1º). 

LEIA MAIS: Recesso do STF termina nesta semana e futuro da Lava Jato deve ser decidido

A expectativa é de que a presidente do Supremo , Cármen Lúcia, determine o sorteio eletrônico da relatoria entre os integrantes da Segunda Turma, colegiado que era integrado por Teori.

O ministro morreu em um acidente aéreo no mês passado, em Paraty, no Rio de Janeiro. 

Antes do sorteio, deve ser confirmada a transferência do ministro Edson Fachin , da Primeira Turma para a Segunda Turma. Informalmente, colegas defendem que o ministro peça transferência por ter perfil reservado, parecido com o do ministro Teori. Fazem parte do colegiado os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Celso de Mello.

Na última segunda-feira (30), Cármen Lúcia homologou as delações de 77 executivos e ex-funcionários da empresa Odebrecht, nas quais eles detalham o esquema de corrupção na Petrobras investigado na Operação Lava Jato.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, já começou a trabalhar nos pedidos de investigação contra os políticos e empresários citados nos depoimentos de colaboração com a Justiça. Não há prazo para que eventuais pedidos de investigação ou arquivamento cheguem à Corte.

Fim de recesso e homenagem

Os trabalhos na Corte serão retomados nesta quarta, após período de recesso. No início da sessão, está prevista uma homenagem ao ministro Teori Zavascki. A homenagem será feita por Celso de Mello, decano na Corte, que deverá fazer um discurso lembrando a trajetória do colega.

A sessão solene está prevista para começar às 14h e será aberta apenas para integrantes do Judiciário, amigos e familiares de Teori. Após oferecer os pêsames oficiais da Corte à família, o STF iniciará a primeira sessão de julgamentos do ano.

LEIA MAIS: Cármen Lúcia homologa as delações dos 77 executivos ligados à Odebrecht

Oito ações que tratam de assuntos fiscais, que estavam sob a relatoria de Teori, serão retiradas da pauta de julgamento. Deve ser incluída na pauta do Supremo a validade da candidatura à reeleição do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. A candidatura é contestada pelo Solidariedade (SD) e pelo deputado André Figueireiro (PDT-CE).

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.