Site de Temer é invadido por hackers que pedem pena de morte aos políticos

Administrado pelo PMDB, página oficial do presidente da República está fora do ar e partido afirma estar "tomando as devidas providências"; veja

+ Salário mínimo em 2017 será de R$ 937, reajuste de 6,47%

Foto: Reprodução internet
Site pessoal e oficial Michel Temer é invadido por hackers


Além da oposição aos partidos políticos, os hackers que invadiram o site de Michel Temer  criticaram o Congresso Nacional.  Uma das mensagens escrita pelos invasores pedia a pena de morte aos políticos brasileiros. “Quando a última árvore tiver caído, quando o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, vocês vão entender que dinheiro não se come. Eu quero pena de morte pra quem tá no Congresso, vocês que deveriam responder por crime hediondo”.

Ataque aos políticos

A mensagem dos hackers sinalizava ainda que os participantes do grupo ‘Anarchy Ghost’ sejam apartidários ao afirmar que “...antes de me chamar de esquerda ou direita, eu quero é que se dane, à direita, meio, e a esquerda! Dane-se os partidos [grafia escrita de forma errada pelos invasores]...”. Os responsáveis pelo ataque ainda afirmaram ainda ter invadido outros sites, como o do Partido dos Trabalhadores (PT).

+ Temer atende a apelo e garante repasses para prefeituras fecharem o ano no azul

Além da mensagem agressiva, o Anarchy Ghost deixou o link para um rap em crítica ao governo Michel Temer, de nome "Desordem e Regresso",  produzido pelo Dj Caíque, em sátira ao slogan escolhido por Temer para o seu governo, o "Ordem e Progresso". 

A página oficial e pessoal do presidente – www.micheltemer.com.br – até às 14h desta sábado (31) estava fora do ar. Procurado pela Agência Brasil, o Palácio do Planalto afirmou que não cabe a ele tomar quaisquer providencias em relação ao fato, uma vez que o ambiente online invadido não tem relação alguma com a Presidência da República.

A responsabilidade pela página pessoal e oficial de Temer  e do Partido do Movimento Democrático do Brasil (PMDB). O partido informou que ele foi invadido durante a noite e não se sabe o autor do ataque.  O PMDB informou ainda estar tomando as devidas providências para identificar o autor e autores do ataque ao site do presidente Michel Temer e tentar colocar a página no ar o quanto antes.

* Com informações da Agência Brasil

+ Temer sanciona renegociação de dívidas, mas veta socorro a estados em crise

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2016-12-31/ataque-site-michel-temer.html