Ministro do STF, Teori Zavascki, autorizou abertura de inquérito para investigar Andres Sanchez pelo crime de corrupção no âmbito da Lava Jato

Andrés Sanchez é investigado pelo crime de corrupção no âmbito da Operação Lava Jato
Reprodução/Facebook
Andrés Sanchez é investigado pelo crime de corrupção no âmbito da Operação Lava Jato


O pedido de abertura de inquérito para investigar o deputado federal e ex-presidente do Corinthians, Andres Sanchez (PT-SP), por corrupção na Operação Lava Jato, foi autorizado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki nesta quinta-feira (10). O pedido foi feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR). A investigação está em segredo de Justiça, portanto, os detalhes do processo são desconhecidos.

LEIA TAMBÉM: Estádio do Corinthians foi presente para Lula, diz patriarca da Odebrecht

De acordo com a força-tarefa de procuradores da Operação Lava Jato, indícios apontam que as obras de construção da Arena Corinthians estão envolvidas com pagamento de propinas oriundas da empreiteira Odebrecht, responsável pela obra.

Ainda segundo a investigação, o ex-diretor de contrato da Odebrecht Infraestrutura, Antônio Roberto Gavioli, aparece em planilhas como o responsável por requisitar pagamentos em espécie de R$ 500 mil, para figura nomeada pelo termo “Timão", em data não identificada.

Também foi citado nas investigações da 26ª fase da Lava Jato, a Operação Xepa, o vice-presidente do Corinthians, André Luiz Oliveira, o André “Negão”. Na época da operação, ocorrida em março, ele foi conduzido de forma coercitiva à Polícia Federal para prestar depoimento.

LEIA TAMBÉM: "Potencial explosivo": o que a delação da Odebrecht pode esclarecer?

Arena Corinthians e seu possível envolvimento na Lava Jato

No final de outubro, o presidente do conselho de administração da Odebrecht, Emílio Odebrecht, relatou em acordo de delação que a Arena Corinthians teria sido uma espécie de presente ao ex-presidente Lula, torcedor declarado do time paulista.

O estádio, também conhecido como Itaquerão, seria um agradecimento a uma suposta ajuda do político ao grupo detentor da construtora durante os anos que ocupou a Presidência do Brasil. As informações que dão conta de um envolvimento de Lula e a construção da arena foram publicadas no jornal Folha de S. Paulo.

LEIA TAMBÉM: Lula se torna réu pela terceira vez na Lava Jato

O grupo Odebrecht teria crescido consideravelmente no período em que o PT governou o país, uma vez que, de 2003 a 2015, o faturamento do grupo multiplicou-se por sete, saltando de R$ 17,3 bilhões para R$ 132 bilhões, em valores nominais (a inflação do período foi de 102%).

A Odebrecht foi a responsável pela construção da Arena Corinthians, na zona leste de São Paulo, de 2011 a 2014. No total, a obra custou R$ 1,2 bilhão, quase 50% além do real valor estipulado inicialmente para o projeto.

* Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.