Técnicos solicitaram mais uma semana, até o dia 22 de agosto, para elaborar relatório; após fase das perícias, Tribunal dará início à oitiva de testemunhas

Em 2014, as contas da campanha de Dilma e Michel Temer, foram aprovadas, com ressalvas, por unanimidade no TSE
Fotos Públicas
Em 2014, as contas da campanha de Dilma e Michel Temer, foram aprovadas, com ressalvas, por unanimidade no TSE

Técnicos do Tribunal Superior Eleitoral solicitaram nesta segunda-feira (15) a prorrogação do prazo para finalizar a perícia contábil dos dados apresentados pela Gráfica Focal, que prestou serviços à campanha eleitoral da presidente afastada Dilma Rousseff . Os servidores do TSE alegam que a documentação completa sobre a empresa só chegou em 1º de agosto – por isso o pedido. 

Com o prazo de 90 dias para entregar o material à Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral, responsável pela relatoria da ação que investiga a campanha de Dilma, esgotado nesta segunda, os técnicos querem poder ter até o início da próxima semana para elaborar o relatório. A ministra Maria Thereza de Assis Moura, relatora do caso no TSE, ainda precisa deferir o pedido feito pelos técnicos.

Relembre a trajetória de Dilma Rousseff:

Em dezembro de 2014, as contas da campanha de Dilma e do vice, Michel Temer, foram aprovadas, com ressalvas, por unanimidade no TSE. De acordo com entendimento atual da Corte Eleitoral, a prestação contábil da chapa é julgada em conjunto.

No entanto, no ano passado, o presidente do TSE, Gilmar Mendes, atendeu a um pedido do PSDB e determinou que seis órgãos de investigação apurassem supostas irregularidades nos pagamentos a sete empresas que prestaram serviços à campanha eleitoral de Dilma em 2014.

LEIA MAIS: Ação para cassar Dilma no TSE pode ficar para 2017, diz Gilmar Mendes

De acordo com a decisão, a Receita Federal, a Polícia Federal e o Ministério Público deveriam investigar se as empresas receberam valores desproporcionais à capacidade operacional para prestar serviços na campanha. A perícia, que começou a ser feita em maio, analisa documentos e contas da Gráfica VTPB, da Editora Atitude, da Red Seg Gráfica e Editora e da Focal.

Além da análise pericial, a ministra Maria Thereza solicitou documentos à Justiça Federal em Curitiba sobre a Operação Lava Jato. Após a fase das perícias, o TSE dará início à oitiva de testemunhas . Ao menos oito testemunhas serão ouvidas inicialmente.

Após a perícia e os depoimentos, o TSE abre prazo para as alegações finais das partes – tanto para o PSDB, autor da ação, quanto para advogados de Dilma e de Temer – e pode colocar o processo em pauta para julgamento no plenário da Corte.

* Com informações da Agência Brasil e Estadão Conteúdo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.