Aliados e opositores defendem afastamento de Jucá do governo Temer

Por Estadão Conteúdo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Em gravação divulgada pela Folha de S. Paulo, ministro sugere a existência de um pacto para obstruir Operação Lava Jato

Estadão Conteúdo

Líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (DEM) defende que nada comprometa novo governo
Gabriela Korossy / Câmara dos Deputados
Líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (DEM) defende que nada comprometa novo governo

Após a divulgação de gravações que mostram que o ministro do Planejamento e presidente nacional do PMDB, Romero Jucá, tentou obstruir investigações da Operação Lava Jato, nesta segunda-feira (23), parlamentares da base aliada e opositores ao presidente em exercício Michel Temer pediram que o peemedebista seja afastado de seu cargo.

Agora na base do governo federal, o líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado (GO), defendeu o afastamento imediato visto que "qualquer denunciado tem o direito e obrigação de se defender das acusações, mas esses atos individuais devem ser tratados longe da administração pública para que a reestruturação e a credibilidade do governo não sejam comprometidas".

Ao mesmo tempo, a assessoria de imprensa da bancada do PSOL na Câmara dos Deputados, altamente contra o governo interino, informou que entrará com representação contra Jucá na Procuradoria Geral da República (PGR).

O PDT também anunciou que vai entrar com uma representação contra o atual ministro do Planejamento. Acompanhados do presidente do partido, Carlos Lupi, os senadores Telmário Mota (PDT-RR) e Lasier Martins (PDT-RS), vão entrar com um pedido de cassação do mandado do senador Romero Jucá por quebra de decoro parlamentar.

Mais cedo, Telmário Mota, rival de Jucá em Roraima, já havia anunciado que entraria com pedido de cassação do peemedebista. Entretanto, a representação contra um senador no Conselho de Ética só pode ser feita pelo presidente de um partido político.

A Rede foi o último partido a se posicionar a favor do afastamento de Jucá. O senador Randolfe Rodrigues (AP) declarou que seu partido vai entrar com representação na Procuradoria-Geral da República pedindo, "no mínimo", o afastamento do senador do cargo de ministro do Planejamento. Randolfe classificou como "gravíssima" a denúncia e disse, ainda, que a cúpula do partido vai se reunir às 19h desta segunda-feira para acertar os detalhes da representação na PGR. 

Telmário Mota (PDT) já havia anunciado que entraria com pedido de cassação do peemedebista
Jefferson Rudy/Agência Senado
Telmário Mota (PDT) já havia anunciado que entraria com pedido de cassação do peemedebista


Em reportagem, a Folha de S. Paulo revelou que, em uma conversa com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, Jucá sugere a existência de um pacto para obstruir a operação Lava Jato, ressaltando que é preciso "estancar a sangria".

Na mesma conversa, ele sugere que uma solução para travar a operação da Polícia Federal seria por meio do impeachment da presidente Dilma Rousseff e a consequente ascensão do vice Michel Temer ao Planalto. 

O hoje ministro se destacou como um dos principais articuladores do processo de impeachment no Congresso Nacional e dentro do PMDB.

Veja quem são os ministros de Michel Temer:

Eliseu Padilha (PMDB-RS), que assume agora como ministro-chefe da Casa Civil, já foi ministro da Secretaria de Aviação Civil (governo Dilma) e dos Transportes (governo FHC). Foto:  Pedro França/Agência Senado - 6.5.15O deputado federal Leonardo Picciani (PMDB-RJ) foi nomeado ministro dos Esportes. Na Câmara, ele votou contra a abertura do processo de impeachment de Dilma Rouseff. Foto: Alex Ferreira/Agência CâmaraPresidente do PMDB na Bahia, Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) é, agora, o ministro-chefe da Secretaria de Governo.. Foto: Valter Campanato/ABr - 25.04.16O deputado Fernando Coelho Filho (PE) é o nome escolhido por Temer para assumir o Ministério de Minas e Energia. Foto: Gustavo Lima/ Câmara dos Deputados - 11.02.15Ministro de Dilma na Secretaria de Portos, Helder Barbalho foi escolhido por Temer para o ministério de Minas e Energia. Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil - 24.02.16 Alexandre de Moraes, secretário de Segurança Pública de São Paulo na gestão Alckmin, assume agora o Ministério da Justiça e Cidadania.. Foto: Elza Fiúza/ ABrNomeado ministro das Relações Exteriores, o senador José Serra já foi ministro da Saúde e do Planejamento no governo FHC, além de ter sido governador do Estado de São Paulo e prefeito da capital paulista.. Foto: Pedro França/Agência Senado - 14.10.2015Ex-governador de Pernambuco, o deputado federal Mendonça Filho (DEM-PE) assume o Ministério de Educação e Cultura. Foto: Fotos PúblicasHenrique Meirelles é o novo ministro da Fazenda. Durante o governo Lula, ele ocupou a presidência do Banco Central. Foto: Agência BrasilEx-governador do Mato Grosso, o senador Blairo Maggi (PP-MT) foi o escolhido de Temer para assumir o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Foto: Site oficialFoi o deputado federal Bruno Araújo (PSDB-PE) quem deu o voto decisivo na votação pela abertura do processo de impeachment na Câmara. Ele agora é ministro das Cidades. Foto: Fotos PúblicasO deputado federal Osmar Terra (PMDB-RS) é o novo ministro do Desenvolvimento Social e Agrário. Foto: Geraldo Magela/Agência SenadoDeputado federal, Ricardo Barros (PP-PR) foi o escolhido de Temer para assumir o Ministério da Saúde. Foto: Wikimedia CommonsJosé Sarney Filho (PV-MA) assume o Ministério do Meio Ambiente, cargo que já ocupou durante o governo FHC. Foto: Wikimedia CommonsHenrique Alves é o novo ministro do Turismo. Durante o governo Dilma, ele chegou a ocupar o mesmo cargo. Foto: Reprodução/FacebookO deputado federal Ronaldo Nogueira (PTB-RS) é o novo ministro do Trabalho. Foto: Reprodução/FacebookSérgio Etchegoyen assume agora como ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional. O general gaúcho atua, desde março de 2015 como chefe do Estado-Maior do Exército brasileiro. Foto: Divulgação/Ministério da DefesaO deputado federal Mauricio Quintella (PR-AL) é o novo ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Foto: Reprodução/FacebookO atual Conselheiro do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), Fabiano Augusto Martins Silveira, assume agora o Ministério da Fiscalização, Transparência e Controle (ex-Controladoria Geral da União). Foto: Wikimedia CommonsFábio Osório Medina é o novo nome à frente da Advocacia-Geral da União. Foto: Reprodução/FacebookO senador Romero Jucá (PMDB-RR) foi nomeado ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Além de ser o atual presidente nacional do PMDB, ele foi ministro da Previdência durante o governo Lula. . Foto: Jefferson Rudy/ Agência Senado/Fotos PúblicasO deputado federal Raul Jungmann (PPS-PE), que foi ministro no governo FHC, assume agora o Ministério da Defesa. Foto: Reprodução/FacebookEx-prefeito da cidade de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD-SP) assume o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Durante o governo Dilma, ele foi ministro das Cidades, mas abandonou o cargo para apoiar o impeachment na Câmara. Foto: Alexandra Martins/Câmara dos Deputados


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas