Grupo organizou o ato na manhã desta quinta-feira e pediram a atenção para o que chamam de golpe contra a presidente

Agência Brasil

Com cartazes que estampavam o rosto de Temer, grupo protestou aos gritos de
Marco Ambrosio/Estadão Conteúdo - 21.04.16
Com cartazes que estampavam o rosto de Temer, grupo protestou aos gritos de "Não vai ter golpe"

Manifestantes do Levante Popular da Juventude, movimento contra o impeachment de Dilma Rousseff, fizeram um ato na manhã desta quinta-feira (21) em frente à residência do vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP), no Alto de Pinheiros, na zona oeste de São Paulo

Aos gritos de "Não vai ter golpe", o grupo levou cartazes que estampavam o rosto do peemedebista, instrumentos musicais e fizeram coreografias.

Segundo Larissa Sampaio, uma das integrantes do movimento, o ato foi destinado a chamar a atenção para o que chama de golpe contra a presidente Dilma. “Nesse último período, em que há um golpe em curso, a gente viu que algumas pessoas têm sido centrais na articulação desse golpe. Aproveitamos o 21 de abril, dia do assassinato de Tiradentes, para denunciar Temer, que tem sido um dos principais articuladores do golpe”, afirma.

“Estamos aqui para denunciar o Temer e o QG [quartel-general] do golpe, porque ele  tem feito de sua casa o espaço de articulação de novos ministérios, antes mesmo de o governo ter sofrido ou não o impeachment”, critica. “Ele está agindo como presidente, lançando planos políticos, dizendo o que vai fazer, articulando ministérios, ou seja, se isso não for golpe, precisamos refazer nossos dicionários e a nossa história, porque isso se configura, na história do Brasil e na América Latina, como um golpe."


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.