Ministro Marco Aurélio de Mello foi designado para ser relator do pedido, feito por um advogado do Estado de Minas Gerais

O vice Michel Temer: interesse pelo Planalto deve complicar sua por ora confortável situação
Reuters
O vice Michel Temer: interesse pelo Planalto deve complicar sua por ora confortável situação

Enquanto o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff avança rapidamente em comissão especial da Câmara dos Deputados, o Supremo Tribunal Federal começará a analisar uma denúncia que pede que Michel Temer seja retirado do cargo de vice-presidente da República. 

De acordo com a assessoria de imprensa da mais alta Corte do Judiciário brasileiro, o ministro Marco Aurélio de Mello foi designado para ser o relator do pedido de impeachment de Temer, assinado pelo advogado Mariel Marley Marra, de Minas Gerais.

Recentemente, em 17 de março, o mesmo advogado protocolou uma ação popular na Justiça que pedia a suspensão da nomeação de Luiz Inácio Lula da Silva como ministro-chefe da Casa Civil, ocorrida duas semanas atrás. A situação do ex-presidente segue indefinida já que cabe ao Supremo julgar se ele poderá ou não atuar no governo Dilma.

Temer, que pode assumir a Presidência caso Dilma sofra o impeachment, também foi citado na delação premiada do senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS), parte das investigações da Operação Lava Jato, além de ter assinado os decretos que culminaram com as chamadas "pedaladas fiscais" – principal argumento de opositores para tirar Dilma do poder.

Os pedidos para a saída de Temer devem proliferar nos próximos dias em uma semana marcada pelo rompimento inédito na jovem democracia brasileira de um vice com o governo federal.

Nesta sexta-feira (1º), o ex-governador do Ceará Cid Gomes deve apresentar pedido de impeachment próprio contra Temer.

Os deputados que fazem parte da comissão do impeachment:


    Leia tudo sobre: impeachment
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.