Líder do PMDB na Câmara diz que Castro e Pansera devem permanecer em ministérios

Por Estadão Conteúdo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Leonardo Picciani (PMDB-RJ) afirma ter "impressão" de que ministros da Saúde e da Ciência seguem no governo Dilma

Estadão Conteúdo

Ministro da Saúde, Marcelo Castro é um dos que devem permanecer no governo, segundo Picciani
Marcelo Camargo/ Agência Brasil - 11.02.16
Ministro da Saúde, Marcelo Castro é um dos que devem permanecer no governo, segundo Picciani

Após conversar com os ministros do PMDB que são deputados, o líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani (RJ), disse nesta terça-feira (29), que teve a "impressão" de que Marcelo Castro (Saúde) e Celso Pansera (Ciência, Tecnologia e Inovação) devem permanecer nos cargos. 

A especulação da saída de ministros do PMDB ganhou força depois do partido anunciar que deve aprovar por aclamação o desembarque da legenda do governo durante reunião do Diretório Nacional da sigla na tarde desta terça. Na segunda-feira (28), Henrique Eduardo Alves (RN) já entregou o cargo de ministro do Turismo.

"A impressão que tive na conversa com eles é que devem permanecer", afirmou Picciani. O líder do PMDB afirmou, contudo, que apoiará qualquer decisão que os ministros venham a tomar. "Cabe a eles decidirem o que considerarem adequado fazer. Apoiarei a decisão que tomarem", disse.

Em audiência pública no Senado, o próprio Pansera já afirmou que deseja permanecer no comando do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. No evento, o ministro reafirmou ser declaradamente contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff e que, se for o caso, voltará para Câmara para votar contra o pedido. 

Pansera e Marcelo Castro foram indicados aos cargos por Picciani durante a reforma ministerial de outubro do ano passado. Desde então, o líder do PMDB se aproximou bastante do Palácio do Planalto, o que provocou seu afastamento do presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), desafeto político do governo Dilma.

Picciani disse ainda não ter conversado com o deputado Mauro Lopes (MG), que desde 17 de março está no comando da Secretaria de Aviação Civil (SAC). Lopes deve entregar sua carta de renúncia ao cargo ainda nesta terça, após a reunião do PMDB, prevista para começar à tarde.

Os ministérios do PMDB:

Henrique Eduardo Alves ocupou durante 11 meses o cargo de ministro do Turismo. Ele anunciou sua demissão no dia 28 de março. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil - 16.03.16Kátia Abreu comanda o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento desde janeiro de 2015, quando teve início o segundo mandato de Dilma. A ministra defende que o PMDB não deve sair do governo e é alinhada com Dilma. Foto: Valter Campanato/Agência BrasilMauro Lopes tomou posse do Ministério da Aviação Civil no dia 17 de março. Na ocasião, ele foi ameaçado de expulsão do PMDB por contrariar decisão do partido de não assumir cargos no governo. Foto: José Cruz/Agência Brasil - 17.03.16Helder Barbalho assumiu em 6 de novembro o Ministério dos Portos. Antes, ele estava no comando do Ministério da Pesca. Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil - 24.02.16 Marcelo Castro é ministro da Saúde desde 5 de outubro de 2015. Castro é um dos que argumentam que ainda não é hora do PMDB sair do governo. Foto: CHARLES SHOLL/FUTURA PRESSEduardo Braga, ministro de Minas e Energia, assumiu o cargo em 2015, quando teve início o segundo mandato da presidente Dilma. Foto: Agência BrasilCelso Pansera é o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação desde outubro de 2015. Ele é um dos defensores da permanência do PMDB no governo. Foto: Elza Fiuza/Agência Brasil



compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas