PM, Datafolha e organizadores divergem sobre tamanho de ato na Avenida Paulista

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Instituto afirma que 95 mil pessoas estiveram em manifestação pró-governo; ao menos três pessoas foram detidas no ato

Protesto pró-governo na Avenida Paulista
J. Duran Machfee/Futura Press - 18.03.16
Protesto pró-governo na Avenida Paulista

O ato de apoio ao governo Dilma Rousseff e em defesa da democracia realizado nesta sexta-feira (18) em São Paulo reuniu 80 mil pessoas na Avenida Paulista, de acordo com as estimativas da Polícia Militar. Já os organizadores da manifestação, que foi convocada pelo PT e por movimentos sociais, afirmam que ao menos 350 mil pessoas participaram do ato – o maior do País, que viu ainda manifestações em outros 25 Estados, mais o Distrito Federal.

O Instituto Datafolha, que no último domingo (13) aferiu 500 mil manifestantes no ato pró-impeachment de Dilma, estima que 95 mil pessoas foram às ruas paulistanas nesta sexta.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de SP informou que três manifestantes contrários ao governo federal foram detidos na Avenida Paulista, mas "não houve nenhuma ocorrência grave". No fim da tarde, no entanto, houve um princípio de tumulto que teria ocorrido por causa de uma faixa que não condizia com a pauta do protesto. Manifestantes então começaram a discutir e a Polícia Militar usou spray de pimenta para dispersar a briga.

Por volta das 19h30 da noite, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um discurso em cima de um carro de som na Paulista. Ele 

defendeu por diversas vezes um "convívio harmônico" entre as alas da sociedade que pedem o impeachment da presidente Dilma e os apoiadores do governo.

"O País precisa voltar a crescer e ter uma sociedade harmônica que entenda que a democracia é a convivência das diferenças. Não quero que aqueles que votaram no Aécio votem em mim. Quero que a gente aprenda a conviver de forma civilizada", afirmou Lula.

Integrantes de diversas organizações e movimentos sociais que compõem a Frente Brasil Popular no Pará fazem uma manifestação na praça da República, centro de Belém. Foto: Raimundo Paccó/Estadão Conteúdo - 18.03.16Manifestantes à favor do governo Dilma Rousseff se reúnem na Esquina Democrática, no centro de Porto Alegre (RS), nesta sexta-feira.. Foto: Carlos Macedo/Estadão Conteúdo - 18.03.16Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante o ato convocado por movimentos sociais em São Paulo. Foto: Nilton Fukuda/Estadão Conteúdo - 18.03.16Manifestantes a favor do governo no centro de Porto Alegre (RS). Foto: Pedro Antonio Heirich/Estadão ConteúdoEm São Paulo, manifestantes condenam o juiz federal Sérgio Moro. Foto: CRIS FAGA/ESTADÃO CONTEÚDOManifestantes mobilizados pela Frente Brasil Popular de Pernambuco se concentram no centro do Recife em defesa do governo. Foto: Chico Peixoto/Estadão ConteúdoManifestantes aguardam a chegada de Lula no protesto. Foto: Chello Fotógrafo/Futura Press - 18.03.16Protesto na Avenida Paulista, em São Paulo. Foto: Peter Leone/Futura Press - 18.03.16Protesto pró-governo na Avenida Paulista. Foto: J. Duran Machfee/Futura Press - 18.03.16Organizadores dizem que há 200 mil manifestantes no protesto. Foto: Leonardo Benassatto/Futura Press - 18.03.16Manifestantes contra o impeachment saem às ruas em diversas cidades
. Foto: Paulo Pinto/Agência PTConfusão em protesto pró-governo. Foto: Newton Menezes/Futura Press - 18.03.16Pestistas anteciparam início do ato, que estava marcado para começar às 16 horas. Foto: Peter Leone/Futura Press - 18.3.16Manifestante critica atuação do juiz federal Sérgio Moro na Operação Lava Jato. Foto: Peter Leone/Futura Press - 18.3.16Centrais sindicais marcam presença em ato contra o impeachment da presidente Dilma. Foto: Luiz Cláudio Barbosa/Código19/Estadão Conteúdo - 18.3.16Manifestantes se concentraram no vão livre Masp para ato de apoio a Lula e ao governo Dilma. Foto: Marcelo D. Sants/Framephoto/Estadão Conteúdo - 18.3.16O ex-presidente Lula chega ao ato pró-governo na Avenida Paulista nesta sexta-feira (18). Foto: André Lucas Almeida/FuturaPress - 18.03.16


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas