"Se me prenderem, viro herói; se me deixarem solto, viro presidente", diz Lula

Por Estadão Conteúdo |

compartilhe

Tamanho do texto

Lula fez diagnóstico positivo sobre impacto da ação da Lava Jato que o levou para prestar depoimento de forma coercitiva

Estadão Conteúdo

Dilma Rousseff visitou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em São Bernardo do Campo (SP)
Ricardo Stuckert/Instituto Lula
Dilma Rousseff visitou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em São Bernardo do Campo (SP)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem feito um diagnóstico positivo sobre o impacto da ação da Operação Lava Jato que o levou para prestar depoimento de forma coercitiva. A pessoas de sua confiança, ele tem dito que o PT e o governo mais ganharam do que perderam com o episódio.

"A partir de agora, se me prenderem, eu viro herói. Se me matarem, viro mártir. E se me deixarem solto, viro presidente de novo", disse Lula a mais de um interlocutor. Conforme o jornal O Estado de S. Paulo apurou, o ex-presidente mostrou-se confiante em resgatar a imagem do partido.

Lula chegou nesta terça-feira (8) à tarde em Brasília para reunir-se com a presidente Dilma Rousseff pela segunda vez em quatro dias. Nesta quarta pela manhã, o ex-presidente tem encontro marcado com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que tem sido pressionado por alguns colegas a aderir ao impeachment.

No Congresso, a avaliação é de que a ação da Lava Jato causou um efeito positivo para Lula em vários aspectos. "O episódio unificou o PT e tirou o partido da paralisia. Atualmente, não há clima mais para falar em disputa entre correntes internas", disse o deputado Paulo Teixeira (PT-SP). Para ele, a forma como ocorreu a condução coercitiva de Lula também sensibilizou os movimentos sociais. "Até para quem não vota no Lula de jeito nenhum foi transmitida uma sensação de que houve abuso por parte da Lava Jato."

Os advogados do ex-presidente recorreram da decisão da ministra do Supremo Tribunal Federal Rosa Weber, que negou pedido de liminar para que a Corte suspendesse a 24.ª fase da Operação Lava Jato e decidisse qual órgão deve ser responsável pelas investigações contra o petista. 

Veja imagens do conflito no dia da Operação contra Lula

Houve briga de manifestantes a favor e contra o ex-presidente em frente à casa de Lula, em São Bernardo do Campo, e a polícia precisou agir. Foto: CLAYTON DE SOUZA/ESTADÃO CONTEÚDO - 4.3.16Em frente à casa de Lula, houve manifestação pró e contra o ex-presidente. Foto: Rodrigo Robatini/Futura Press - 04.03.2016Um grupo de pessoas a favor do ex-presidente decidiu ir até a residência de Lula para prestar apoio. Foto: Rodrigo Robatini/Futura Press - 4.3.16Policiais precisaram agir para evitar confronto entre manifestantes pró e contra Lula. Foto: Rodrigo Robatini/Futura Press - 4.3.16Movimentação em frente à residência do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em São Bernardo do Campo (SP), na manhã desta sexta-feira (4). . Foto: Rodrigo Robatini/Futura Press - 4.3.16Atrás de cordão de isolamento, manifestantes brigam com policiais em frente à casa de Lula, em São Bernardo do Campo . Foto: CLAYTON DE SOUZA/ESTADÃO CONTEÚDO - 4.3.16Manifestantes a favor de Lula esperaram o ex-presidente em frente à sua casa. Foto: RAFAEL BELZUNCES/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO - 04.03.16No aeroporto de Congonhas também houve protesto e tumulto contra Lula. Manifestantes levaram o Pixuleco, boneco de Lula com roupa de presidiário e bola de chumbo no pé . Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press - 4.3.16Houve muita gritaria e confusão no aeroporto, local onde o ex-presidente está prestando depoimento. Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press - 04.03.16O ex-deputado do PT, Professor Luizinho, protesto em favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press - 04.03.16Dezenas de pessoas, aos gritos, pediram a prisão do ex-presidente durante o protesto. Foto: ReproduçãoEm frente à Polícia Federal, no aeroporto de Congonhas, zona sul de SP, manifestantes fazem tumulto. Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press - 04.03.16Do lado de fora do aeroporto de Congonhas, manifestantes também entraram em confronto. Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press - 04.03.16O ex-deputado petista Devanir Ribeiro, amigo de Lula, é escoltado por policiais após confusão no aeroporto. Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press - 04.03.16Do lado de fora do aeroporto, manifestantes também protestam contra o ex-presidente. Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press - 04.03.16Protesto no aeroporto de Congonhas teve tumulto, gritaria e confusão. Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press - 4.3.16


Leia tudo sobre: Operação Lava JatoLava JatoLula

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas