Tamanho do texto

Conselho de Ética do Senado votará na próxima quarta-feira (16) o parecer apresentado pelo senador Telmário Mota (PDT)

Delcídio do Amaral (PT-MS), ex-líder do governo no Senado
Agência Brasil - 8.9.15
Delcídio do Amaral (PT-MS), ex-líder do governo no Senado

O presidente do Conselho de Ética do Senado, senador João Alberto (PMDB-MA), encerrou a sessão que visava analisar o pedido de cassação do mandato do senador Delcídio do Amaral, ex-líder do governo na Casa. A reunião do colegiado nesta quarta-feira (9) durou apenas 30 minutos.

O relator da ação, senador Telmário Mota (PDT-RR), apresentou parecer favorável à admissibilidade do processo contra Delcídio.

Cada um dos integrantes do conselho recebeu uma cópia do parecer e a votação do relatório de Telmário Mota foi agendada para a próxima quarta-feira (16) às 14h30.

Preso em novembro do ano passado após ser gravado tramando a fuga do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, o senador Delcídio do Amaral responde no conselho por quebra de decoro parlamentar.

Delcídio provocou na semana passada uma correria na Praça dos Três Poderes após reportagem da revista "IstoÉ" revelar trechos de um suposto depoimento do senador ao fechar acordo de delação premiada com a força-tarefa da Operação Lava Jato.

Na ocasião, Delcídio teria afirmado que a presidente Dilma Rousseff tentou atrapalhar as investigações e que o ex-presidente Lula teria sido o responsável pela tentativa de evitar que Cerveró assinasse o acordo de delação premiada.

O senador não confirma, e nem desmente, que tenha realizado o acordo de colaboração.

Além da possibilidade de perder o mandato no Senado, Delcídio também deve encarar um processo que pode culminar a sua expulsão do PT, agremiação que o atacou duramente após o vazamento das supostas acusações contra Lula e Dilma.

Veja mais:  os políticos que estão na lista da Operação Lava Jato


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.