Justiça determina bloqueio de R$ 25 milhões em contas de João Santana

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Decisão também será aplicada para outros investigados que tiveram a prisão decretada nesta segunda (22); marqueteiro do PT foi um dos alvos da nova fase da Operação Lava Jato

Agência Brasil

João Santana, marqueteiro do PT, é suspeito de ter recebido US$ 3 milhões da Odebrecht
Reprodução/Youtube
João Santana, marqueteiro do PT, é suspeito de ter recebido US$ 3 milhões da Odebrecht

O juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, determinou nesta segunda-feira (22) o bloqueio das contas pessoais e das empresas do publicitário de João Santana e de sua mulher, Mônica Moura.

O bloqueio foi solicitado pelo Ministério Público Federal e atinge as contas das empresas Santana & Associados Marketing e Propaganda LTDA e a Polis Propaganda e Marketing LTDA.

As contas do engenheiro Zwi Skornicki, representante oficial no Brasil do estaleiro Keppel Fels, e do funcionário da empreiteira Odebrecht Fernando Migliaccio também foram bloqueadas. Todos os investigados citados tiveram prisão decretada na nova etapa da Operação Lava Jato, intitulada Acarajé, deflagrada nesta manhã.

De acordo com a decisão, as instituições bancárias devem bloquear até R$ 25 milhões, valor que eventualmente está depositado nas contas. O valor do bloqueio é padrão e não significa que os investigados tenham a quantia depositada.

Os investigadores suspeitam que Santana e sua mulher receberam US$ 3 milhões, que teriam sido pagos por meio de empresas offshores controladas pela Odebrecht.

A Odebrecht, alvo de investigação da Operação Lava Jato, confirmou nesta tarde, por meio de nota, que agentes da Polícia Federal realizam ações nos escritórios da companhia em São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia, visando ao cumprimento de mandados de busca e apreensão. Informou ainda que “está à disposição das autoridades para colaborar com a operação em andamento”.

A defesa do publicitário João Santana e de Mônica Moura informou ao juiz federal Sérgio Moro que eles vão se entregar à Polícia Federal assim que desembarcarem no Brasil.  Eles estão na República Dominicana e devem chegar ao País nas próximas horas.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas