Baiano está preso acusado de intermediar o pagamento de propina em contratos de aluguel de navios-sonda da Petrobras

Agência Brasil

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), homologou nesta sexta-feira (9) a delação premiada do empresário Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, investigado na Operação Lava Jato. Baiano está preso desde novembro do ano passado, acusado de intermediar o pagamento de propina em contratos para aluguel de navios-sonda pela Petrobras. 

Ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki
Dorivan Marino/STF - 26.2.15
Ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki

O conteúdo das informações prestadas aos investigadores não foi divulgado porque a delação está em segredo de Justiça. Com a assinatura da delação com o Ministério Público Federal (MPF), Soares deve receber benefícios como redução de pena e a possibilidade de ir para o regime de prisão domiciliar imediatamente. Ele citou nomes de pessoas com foro privilegiado e, por isso, o acordo foi validado pelo ministro Zavascki. 

Veja mais:

Paulo Roberto Costa ganha direito a sair de casa

Maconha, aborto, impeachment, igreja e casamento gay: a pauta-bomba de Barroso

Fernando Baiano foi condenado pelo juiz federal Sergio Moro a 16 anos de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Ele é apontado como um dos operadores do esquema de superfaturamento de contratos da Petrobras e pagamento de propina a partidos e agentes políticos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.