Dilma reforça Levy e diz que Lindbergh tenta criar conflito onde não há

Por Luciana Lima , iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Presidente desmentiu rumores de conflito entre os ministros da Fazenda e do Planejamento em relação ao pacote fiscal

A presidente Dilma Rousseff disse hoje, em entrevista na Cidade do México, que não existe divergências entre as posições dos ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e do Planejamento, Nelson Barbosa. De acordo com a presidente, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), que tem falado sobre esta divergência, está "construindo um conflito onde não existe".

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy
Wilson Dias/Agência Brasil
O ministro da Fazenda, Joaquim Levy
O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa
Alan Sampaio/22mai2015/iG Brasília
O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa

"A posição de Joaquim Levy e de Nelson Barbosa no governo é extremamente estável. Nunca houve, desde o momento em que eles assumiram as suas funções, nenhum problema com eles. Os ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e do Planejamento, Nelson Barbosa, têm uma posição de unidade em torno do ajuste fiscal", comentou a presidente, que aproveitou para marcar posição de fortalecimento do ministro Levy e desfazer qualquer rumor de saída.

"Tenho para mim que o ministro Levy é dedicado, trabalhador e batalhado."

Leia também:

Ajuste penalizará pobres e esvaziará municípios, diz Renan a prefeitos

Governo intensifica negociação para aprovar ajuste fiscal

Dilma criticou a postura de Lindbergh e lamentou sua postura. O senador chegou a pedir a cabeça do ministro Levy ao se posicionar contra o pacote fiscal, em votação no Congresso. "O senador Lindbergh Farias equivoca­-se bastante quando faz essa diferenciação entre o ministro Levy e o ministro Nelson Barbosa."

Veja imagens da presidente Dilma Rousseff:

Dilma Vana Rousseff nasceu no dia 14 de dezembro de 1947 em Belo Horizonte, em Minas Gerais. Foto: Facebook/Dilma RousseffDilma é filha do empresário e poeta búlgaro Pétar Russév e da professora Dilma Jane Silva. Foto: Facebook/Dilma RousseffDe família de classe média, Dilma Rousseff estudou no tradicional Colégio Sion e ficou até a juventude em Minas Gerais. Foto: ReproduçãoDilma (segunda à esquerda) ao lado de amigas em baile de debutante, antes de começar a militância na política. Foto: ArquivoEm 1970, Dilma, que era militante desde a juventude, foi presa em São Paulo e torturada. Ela foi condenada a seis anos e um mês, mas foi solta em 1972. Foto: ArquivoDilma começou a militância ainda nos tempos de escola, na década de 60. Chegou a viver na clandestinidade, teve que deixar a faculdade e acabou presa na ditadura. Foto: ReproduçãoDilma começou na carreira política em 1975, na Fundação de Estatística e Economia em Porto Alegre e teve vários cargos no governo gaúcho. Foto: ReproduçãoDilma Rousseff foi nomeada ministra de Minas e Energia no governo do presidente Lula, em 2003. Foto: Agência BrasilDilma nos tempos de ministra da Casa Civil. Petista assumiu a vaga de José Dirceu na pasta no governo de Lula em 2005. Foto: ArquivoDilma no casamento de Paula, sua filha única, da união com Carlos Araújo, em 2008. Lula acompanhou a então ministra na cerimônia. Foto: ReproduçãoDilma, Lula e o ministro Edson Lobão (ao fundo) em plataforma durante extração do 1º óleo da camada pré-sal, que começou a ser explorado na sua gestão. Foto: Agência BrasilMinistra Dilma Rousseff, o presidente do Senado, José Sarney, e o presidente Lula na cerimônia de apresentação do marco regulatório do pré-sal, em 2009. Foto: Agência BrasilAinda na época de ministra, Dilma Roussef assiste ao desfile do bloco de carnaval Galo da Madrugada, no Recife. Foto: Agência BrasilEm 2009, Dilma enfrentou um câncer linfático. Ela teve que usar peruca por alguns meses e foi considerada curada em setembro daquele ano. Foto: Agência BrasilDilma posa com o neto Gabriel. O herdeiro nasceu em setembro de 2010. Foto: DivulgaçãoDilma durante a campanha nas eleições presidenciais de 2010. Ela venceu José Serra no segundo turno. Foto: Roberto Stuckert FilhoLula começou o tratamento contra um câncer na laringe em outubro de 2011 e recebeu a visita de Dilma no hospital. Foto: Instituto LulaAo lado do vice Michel Temer, Dilma Rousseff sobe a rampa do Palácio do Planalto no dia da sua posse como presidente em janeiro de 2011. Foto: Ricardo Stuckert FilhoLula passa a faixa de Presidente da República para Dilma em janeiro de 2011 no Palácio no Planalto. Foto: ArquivoCom Lula, PT realiza convenção que homologou a candidatura de Dilma em junho deste ano. Foto: Ricardo Stuckert/Instituto LulaEleitores se apertam para chegar perto de Dilma Rousseff durante camapnha da petista em 2014. Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Dilma teve momentos de descontração durante a campanha e até arriscou passos de funk. Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Lula fez campanha ao lado de Dilma Rousseff em caminhadas e carreatas na eleições 2014. Foto: Ricardo Stuckert/PRNa reta final, Dilma fala da defesa das mulheres e usa faixa 'Diga não a violência contra a mulher'. Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13Bebendo chimarrão, Dilma Rousseff exibe comprovante de votação do segundo turno (26/10). Foto: Felipe Dana/ APDilma Rousseff é reeleita presidente da República e comemora em Brasília (26/10). Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIADilma recebe carinho de Lula depois de vitória nas eleições presidenciais 2014 (26/10). Foto: ALAN SAMPAIO/iG BRASILIA


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas