Reforma política: sob Cunha, Câmara distribui metade das senhas para galerias

Por iG São Paulo - | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Petistas e CUT reclamam de limitação do acesso às galerias

Cunha (direita): sob seu comando, Câmara distribui só metade das senhas para as galerias
Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados - 26.5.15
Cunha (direita): sob seu comando, Câmara distribui só metade das senhas para as galerias

A Câmara dos Deputados, presidida por Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disponibilizou apenas 100 das 200 senhas disponíveis para que a população acompanhasse a votação da reforma política, iniciada nesta terça-feira (26). A medida irritou a Confederação Única dos Trabalhadores (CUT), que vem reclamando de discriminação no acesso ao plenário.

As senhas para acompanhamento das votações são distribuídas, a cada votação, para as lideranças dos partidos de acordo com o tamanho das bancadas. As legendas, depois, podem repassar às senhas a quem quiserem.

Nesta terça-feira (26), o PT, ao qual à CUT é alinhada, recebeu 11 senhas. O número é condizente com a fatia de cadeiras deitadas pela legenda, 13% do total, mas inferior às 22 que lhe foram entregues na votação do ajuste fiscal há duas semanas.

Leia também:

- Ajuste: CUT acusa Eduardo Cunha de barrar sindicalistas e é barrada pela Força

- Tiririca vira ponto turístico de barrados no plenário da Câmara

"Obtivemos apenas 1 senha e éramos 300", reclamou Júlio Turra, diretor-executivo da CUT e que liderou uma manifestação junto à Câmara nesta tarde. "Isso já tinha ocorrido antes. A dinâmica  é a do interesse do presidente da Casa. Quando não lhe interessa, ele não autoriza o acesso [às galerias]."

Segundo o gabinete do deputado Alessandro Molon (PT-RJ), Cunha ocupou as galerias da Casa com integrantes da Marcha dos Prefeitos. Procurada no início da noite, a Câmara informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que iria levantar quantas senhas foram distribuídas para cada partido, pois a informação não estava imediatamente disponível.

Como o iG mostrou, Cunha tem sido acusado pela CUT de barrar o acesso dos representantes da central à Casa e de favorecer a Força Sindical, ligada ao Solidaridade, mais próximo do presidente da Casa que o PT.

A presidência da Câmara não respondeu imediatamente ao e-mail com pedido de informações para esta reportagem.

CUT acusa Cunha de dificultar acesso ao Plenário; assista





Leia tudo sobre: reforma políticacuteduardo cunha

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas