Foram 99 votos a favor do distrital misto, 369 votos contrários à adoção do sistema no processo eleitoral brasileiro

Agência Brasil

Na segunda votação da noite de hoje, da proposta de emenda à Constituição (PEC) da reforma política, os deputados rejeitaram a proposta do sistema distrital misto para as eleições de vereadores, deputados estaduais e federais.

Foram 99 votos a favor do distrital misto, 369 votos contrários à adoção do sistema no processo eleitoral brasileiro e duas abstenções. Com a rejeição desse dispositivo, os deputados começaram a debater o sistema denominado de distritão.

Reforma política: sob Cunha, Câmara distribui metade das senhas para galerias

Ajuste: CUT acusa Eduardo Cunha de barrar sindicalistas e é barrada pela Força

Plenário da Câmara dos Deputados discute emenda à PEC da Reforma Política, que institui o sistema eleitoral
Wilson Dias/Agência Brasil
Plenário da Câmara dos Deputados discute emenda à PEC da Reforma Política, que institui o sistema eleitoral

Para que seja aprovado o distritão, são necessários os votos favoráveis de no mínimo 308 deputados, na votação de hoje e em uma votação em segundo turno da PEC.

O sistema distritão vem sendo defendido pelo presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pela bancada do seu partido e por outras bancadas. O PT, que tem a maior bancada na Câmara, é totalmente contrário à adoção do distritão.

O sistema estabelece que serão eleitos os candidatos mais votados na circunscrição eleitoral, na ordem da votação nominal que cada um tenha recebido. O sistema se destina à eleição de vereadores, deputados estaduais e federais serão eleitos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.