Renan usa pauta de governadores para pressionar Dilma

Por Luciana Lima - iG Brasília |

compartilhe

Tamanho do texto

O encontro desta quarta-feira é um ato político no qual o presidente do Senado poderá catalisar as reclamações dos governadores e impor uma pauta indigesta ao Planalto

Para aumentar ainda mais a pressão sobre a presidente Dilma Rousseff, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), reunirá governadores de todos os Estados brasileiros para debater uma pauta capaz de criar constrangimentos ao Planalto. Noa pauta de assuntos a serem discutidos no ato político que ocorrerá na manhã desta quarta-feira (20), estão temas indigestos para as contas do governo.

Renan conversa com Lula durante visita do ex-presidente à residência oficial do senador
Jane de Araújo/Agência Senado
Renan conversa com Lula durante visita do ex-presidente à residência oficial do senador

Entre eles, a discussão de um novo pacto federativo, as reclamações em relação aos repasses da União para áreas de saúde, as dívidas dos Estados com a União, as propostas de redução de gastos e de pastas no governo, o ajuste fiscal, além do contingenciamento que deverá ser anunciado até o final desta semana e, como a própria presidente afirmou, será significativo.

Leia também:
Renan recusa convite de Dilma para jantar

Nos bastidores, colegas de Renan no Senado já apontavam a reunião desta quarta-feira como "o troco" da aprovação da indicação do ministro Luiz Edson Fachin para o Supremo Tribunal Federal (STF). Renan trabalhou contra a aprovação, no entanto acabou vencido.

Renan tem se dedicado a articulação do encontro há cerca de um mês e telefonou para cada governador fazendo o convite. Na terça-feira (19), ao receber representantes da Sociedade Brasileira de Cardiologia em seu gabinete, chegou a informar aos médicos que não deixaria de discutir com os governadores os problemas de repasses da União para a saúde.

Assista entrevista com Beto Richa, governador do Paraná:

A estratégia do presidente do Senado é catalisar a choradeira comum entre governadores de partidos de oposição e de aliados do Planalto e ganhar aval para tocar no Legislativo os pleitos dos gestores. Na noite de terça-feira, dos 27 governadores, 24 já haviam confirmado presença.

Entre os aliados do Planalto, o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB) confirmou presença, assim como o petista, Rui Costa, governador da Bahia.  No Estado, Coutinho alegou que as dificuldades que passam cada estado está além das questões políticas , considerando que sua presença no encontro não abalaria sua relação com a presidente, que o apoiou nas eleições, apesar de ter o PSB como adversário.

Leia também:
Renan diz que governo fica enfraquecido sem pronunciamento de Dilma
Renan chama de 'ridícula' ausência de Dilma na TV no Dia do Trabalho
Renan cobra posição de Dilma sobre projeto que regulamenta a terceirização

Coutinho tem participado da articulação entre os nove governadores do Nordeste para apresentar pleitos comuns da região e essas demandas passam necessariamente pela dificuldade de receita dos estados.

Já o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB) classifica de extravagante a concentração de receitas na União enquanto os Estados e municípios, segundo ele, assumem cada vez mais atribuições. “Nós vemos sempre a cada vez mais uma extravagante concentraçãoo de receitas no governo federal” , considera. “Tem que haver uma revisão deste pacto federativo”, defendeu.

Leia tudo sobre: renan calheirosdilma rousseffbeto richa

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas