Ativistas vão a Brasília pedir reforma política democrática para o Brasil

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo a presidente da CTB-GO, Ailma Maria, cerca de 4 mil manifestantes estiveram presentes durante o ato desta quarta

Agência Brasil

Manifestantes da Coalizão pela Reforma Política Democrática se reuniram nesta quarta-feira (20) em frente ao Congresso Nacional para entregar um abaixo-assinado defendendo um projeto de reforma política democrática para o Brasil.

2013: Manifestantes colocam fogo no Palácio do Itamaraty e tentam invadir o prédio

Segundo a presidente da Central dos Trabalhadores e das Trabalhadoras do Brasil de Goiás (CTB-GO), Ailma Maria, cerca de 4 mil pessoas estiveram presentes no ato e 700 mil assinaturas foram colhidas em todo o Brasi.

“Pedimos pelo fim do financiamento empresarial de campanha. Acreditamos que o financiamento tem que ser exclusivamente público de campanha, para que todos os candidatos possam ter os mesmos diretos e para que não tenhamos mais compra de votos no Brasil,” disse.

A presidente espera que com a reforma política a classe trabalhadora seja melhor representada. “Que as mulheres possam ter espaço no poder - as minorias, a população negra e  as Lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e simpatizantes (LGBT) -  e  que o povo trabalhador e campesino possa ocupar espaços no legislativo, executivo e judiciário,” observou.

Manifestantes: Político precisa saber que não é imortal', diz manifestante de Brasília

Segundo Ailma, uma comissão de parlamentares recebeu representantes da coalizão, da Ordem dos Advogados do Brasil, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil para acolher as demandas. O grupo espera ser recebido pelo presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL).

Também na Esplanada dos Ministérios, a Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Familiar do Brasil (Fetraf) faz manifestação pela reforma agrária em frente ao Ministério do Trabalho e Emprego. Segundo um integrante da entidade, o grupo apresentará suas demandas ao ministro do Trabalho, Manoel Dias no início da tarde.

Leia tudo sobre: manifestacoesbrasiliafetraf

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas