Sindicalista pode assumir comando do PSDB em São Paulo

Por Anderson Passos - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Deputado Ramalho da Construção tem ouvido apelos de seus pares e deve definir se participa da escolha na próxima semana

O deputado estadual e presidente do núcleo Sindical do PSDB nacional, Antonio de Sousa Ramalho - o Ramalho da Construção - pode ser o próximo nome a se apresentar para a disputa da direção do diretório paulistano do PSDB, órgão que definirá o rito da escolha do candidato tucano à sucessão de Fernando Haddad (PT) na capital paulista. O curioso é, confirmada a candidatura e a escolha, um sindicalista pode comandar um diretório do PSDB.

Ramalho disse ao iG que irá definir se participa da eleição na próxima semana "entre terça ou quarta-feira. Na verdade, eu tenho escutado muitos apelos para participar e ainda estou avaliando. não posso entrar nessa disputa apenas para inscrever meu nome".

A chapa deve ser inscrita até o próximo dia 23 de maio enquanto que a eleição se dará na convenção estadual, em 31 de maio. Entre os nomes já colocados para a disputa estão o do vereador paulistano Mario Covas Neto, o Zuzinha, o deputado federal Ricardo Trípoli e Fábio Lepique.

Leia mais: PSDB paulista se antecipa e pode ter nome à sucessão de Haddad neste ano

Deputado Ramalho da Construção preside o núcleo sindical do PSDB nacional e pode apresentar seu nome à sucessão no PSDB paulistano
Divugação
Deputado Ramalho da Construção preside o núcleo sindical do PSDB nacional e pode apresentar seu nome à sucessão no PSDB paulistano

Enquanto Lepique é um quadro jovem do partido e assessorou do governador Geraldo Alckmin, Trípoli foi um dos personagens da tumultuada prévia que escolheu José Serra como candidato à prefeito da capital paulista em 2012. Trípoli e José Aníbal mantiveram seus nomes na disputa - Serra inscreveu-se depois do prazo estipulado pelo partido e acabaram preteridos. Serra, mais tarde, seria derrotado por Haddad no segundo turno da sucessão em São Paulo.

"Zuzinha seria como colocar o [Andrea] Matarazzo como presidente do diretório", avaliou um tucano comentando que Ramalho traz consigo a vantagem de envolver não apenas a base sindical como a base social do PSDB. Essa mesma fonte declara que Ramalho tem simpatia do presidente da Assembleia Legislativa, Fernando Capez e do próprio governador Geraldo Alckmin.

Leia também: Morte de filho de Alckmin vai impactar sucessão no PSDB-SP

Questionado sobre a proximidade com o governador, Ramalho da Costrução adotou cautela. "Falo uma vez por semana com ele sobre vários temas. Tenho ouvido apelos porque a minha experiência em negociar poderia ajudar a unificar o partido. Mas nunca falei com o governador sobre colocar meu nome. Quando isso for decidido, vou conversar com ele. Mas tenho certeza que ele [Alckmin] não vai tomar parte nisso [na eleição]", afirma o deputado.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas