Defesa de João Vaccari Neto alegou que prisão do tesoureiro está amparada em falso testemunho do doleiro Alberto Youssef

Agência Brasil

O desembargador convocado Newton Trisotto, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou pedido de liberdade feito pela defesa do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto. Trisotto não deu seguimento ao pedido, por considerar o habeas corpus incabível processualmente. Cabe recurso ao pleno da corte.

Leia mais: Tesoureiro do PT é preso pela Polícia Federal em nova fase da Lava Jato

Após ser preso, Vaccari Neto foi afastado de suas funções no Partido dos Trabalhadores
Marcelo Camargo / Agência Brasil
Após ser preso, Vaccari Neto foi afastado de suas funções no Partido dos Trabalhadores

No STJ, a defesa de Vaccari alegou que a prisão de seu cliente foi decretada, no mês passado, pelo juiz federal Sérgio Moro com base em declarações falsas do doleiro Alberto Youssef e do ex-gerente de Serviços da Petrobras Pedro Barusco, delatores do esquema  de corrupção investigado na Operação Lava Jato . Segundo eles, o ex-tesoureiro do PT recebeu propina de executivos de empreiteiras investigados pela Polícia Federal.

Leia também: Vaccari confirma que foi ao escritório de Youssef: "Mas ele não estava"

Os advogados de Vaccari afirmam que ele nunca pediu doações de origem ilícita e que todas as contribuições ocorreram de forma legal, por transação bancária.

Conheça os agentes políticos citados na Lava Jato



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.