Segundo informações divulgadas anteriormente, a defesa está tentando fazer com que Pizzolato cumpra a pena na Itália

O Tribunal Administrativo Regional (TAR) do Lacio suspendeu a extradição do ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, após a defesa do condenado no processo do mensalão apresentar um recurso contra a decisão do ministro da Justiça da Itália. A informação foi confirmada à ANSA pelo advogado do ex-banqueiro, Alessandro Sivelli.

Mais cedo:  Henrique Pizzolato entra com recurso para impedir extradição

Anteriormente:  Itália autoriza extradição de Pizzolato; ex-diretor do BB deve ir à Papuda

Segundo informações divulgadas anteriormente pela imprensa, a defesa está tentando fazer com que Pizzolato cumpra a pena na Itália. Condenado a 12 anos e sete meses de prisão, o ítalo-brasileiro fugiu para a Itália no meio do escândalo do Mensalão, um dos maiores casos de corrupção na política brasileira. Mesmo tendo cidadania italiana, ele usou os documentos falsos do irmão, que faleceu em 1978, e acabou sendo preso em Maranello.

No dia 24 de abril, o ministro italiano da Justiça, Andrea Orlando, deu um parecer favorável à extradição do ex-diretor. A decisão veio de encontro ao veredicto da Corte de Cassação de Roma, em fevereiro, que reverteu uma decisão do Tribunal de Bolonha e autorizou a extradição.

Na primeira sentença, a vinda do ex-diretor ao país tinha sido negada sob argumento de que os presídios brasileiros não têm condições de manter a integridade física de Pizzolato.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.