Pás não se soltaram de helicóptero que matou Thomaz Alckmin, diz Fantástico

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Soltura de uma ou mais pás era apontado por especialistas como um dos principais motivos para o acidente

Fotos mostram pinos intactos e derruba tese de pás terem se soltado
Reprodução/TV Globo
Fotos mostram pinos intactos e derruba tese de pás terem se soltado

Fotos divulgadas pelo Fantástico da TV Globo, exibido neste domingo (3), mostram que os pinos que seguravam as pás do helicóptero onde estava o filho caçula do governador Geraldo Alckmin (PSDB), Thomaz Alckmin, estavam intactos após a queda. As imagens, segundo a reportagem, provam que nenhuma pá se soltou do helicóptero - até então a soltura da peça era apontada como principal motivo para o acidente. Um vídeo divulgado logo após acidente mostra uma peça voando da aeronave pouco antes da queda. 

Fotos mostram pinos intactos e derruba tese de pás terem se soltado
Reprodução/TV Globo
Fotos mostram pinos intactos e derruba tese de pás terem se soltado

O helicóptero caiu sobre uma casa na região de Carapicuíba, na Grande São Paulo no dia 2 do mês passado. Além de Thomaz, também morreram Carlos Haroldo Isquerdo Gonçalves, 53, que pilotava a aeronava, e os mecânicos Paulo Henrique Moraes, 42, Erick Martinho, 36, e Leandro Souza, 34.

Segundo a reportagem, a possibilidade mais concreta é que ao menos uma das pás tenha se partido durante o voo. A quebra teria desistabilizado a aeronave. A reportagem também aponta outras possibilidades para o acidente: quebra ou soltura de uma das peças do sistema de comando do rotor ou falha na caixa de transmissão do rotor da cauda. 

Veja o momento da queda do helicóptero:


Thomaz era piloto profissional e foi convidado para participar do teste. Casado, ele tinha duas filhas. O corpo foi enterrado na cidade natal da família Alckmin, Pindamonhagaba. 

Leia também: Políticos e amigos se despedem de Thomaz Alckmin em velório em SP

Filho de Alckmin é confirmado como quinta vítima de acidente de helicóptero

Na ocasião, a empresa Seripatri, responsável pela operação do helicóptero, informou que piloto tinha mais de 30 anos de experiência na profissão e o acidente ocorreu durante voo de teste, após a aeronave passar por manutenção preventiva.

Fotos mostram pinos intactos e derruba tese de pás terem se soltado
Reprodução/TV Globo
Fotos mostram pinos intactos e derruba tese de pás terem se soltado

O helicóptero era da marca Eurocopter, modelo EC 155, prefixo PPLLS, e tinha cerca de quatro anos de uso, com aproximadamente 600 horas de voo, de acordo com a Seripatri. A aeronave estava com documentação e manutenção em ordem.

O acidente deixou a casa atingida e o helicóptero completamente destruídos. Dezenas de profissionais do Corpo de Bombeiros, apoiados por oito viaturas, trabalharam no local do acidente ao longo de mais de duas horas para buscar por possíveis vítimas.


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas