Renan sobre terceirização: "Não vamos permitir pedaladas contra o trabalhador"

Por iG São Paulo * | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Logo após aprovação das mudanças na lei da terceirização, senadores começaram a se manifestar contra a pressão pela aprovação do texto

Renan Calheiros (PMDB/AL), presidente do Senado, avisou nesta quinta-feira (23) que não vai permitir "pedaladas contra o trabalhador" na apreciação do texto sobre a terceirização. E não terá pressa na votação. "Não podemos permitir a discussão apressada de modo a revogar a CLT [Consolidação das Leis do Trabalho]", disse em entrevista a TV Senado.

O presidente da Casa lembrou que o projeto com mudanças nas regras da terceirização tramitou por 12 anos na Câmara. "No Senado haverá uma tramitação normal", avisou.

Leia também:

Com bate-boca, Câmara aprova novas regras da terceirização e derrota governo

Jorge Viana (PT-AC), defenderá no Senado a mesma bandeira petista vista na Câmara, que é contra a ampliação das regras da terceirização; por exemplo, no que diz respeito a atividade fim. "Não se deve permitir a exploração dos que trabalham, por exemplo, nos finais de semana".

Líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira antecipou que alguns pontos aprovados na Câmara serão revistos. O ponto principal, segundo ele, será a terceirização da atividade fim".

* Com TV Senado


Leia tudo sobre: terceirizaçãoSenadoCâmaravotação

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas