Oposição propõe CPI para investigar aplicação de recursos dos fundos de pensão

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Pedido de comissão foi apresentado à Câmara dos Deputados nesta quarta-feira; é o 15º requerimento por CPI de 2015

Agência Brasil

Mais um pedido de criação de comissão parlamentar de inquérito (CPI) foi apresentado à Câmara dos Deputados por líderes dos partidos de oposição ao governo, nesta quarta-feira (22). 

Leia mais:
Oposição deve apresentar pedido de CPI para investigar fundos de pensão

A oposição conseguiu as assinaturas de 186 deputados de 24 partidos em requerimento para a criação de CPI a fim de investigar indícios de aplicação incorreta dos recursos e de manipulação na gestão de fundos de previdência complementar. 

No requerimento, os deputados propõem que sejam investigadas as gestões da Fundação dos Economiários Federais – Funcef;  Fundação Petrobras de Seguridade Social – Petros; Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil – Previ; e do Instituto de Seguridade Social dos Correios e Telégrafos – Postalis, no período de 2003 a 2015. 

Na justificativa do requerimento, os líderes da oposição, que assinaram e encabeçaram o documento para a criação da CPI – Rubens Bueno (PPS-PR), Júlio Delgado (PSB-MG), Carlos Sampaio (PSDB-SP), e Mendonça Filho (DEM-PE) – afirmam que “a situação torna-se ainda mais grave diante de evidências da participação de quadrilhas na gestão do patrimônio de vários fundos de pensão. Personagens já notórios do enredo de corrupção que literalmente tomou o Brasil de assalto – como o doleiro Alberto Yousseff e um de seus principais auxiliares, o advogado Carlos Alberto Pereira da Costa”. 

Leia também:
Comissão dos Fundos de Pensão é arquivada
Deputados articulam abertura de CPI dos fundos de pensão

É o 15º requerimento para criação de CPI apresentado à Câmara apenas nesta legislatura. Já estão em funcionamento quatro comissões. O Regimento Interno da Casa estabelece que só podem funcionar simultaneamente cinco CPIs.

Cabe ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha(PMDB-RJ), por meio da assessoria da Casa, decidir se há ou não fato determinado para a criação da comissão. Ele obedece à ordem de apresentação dos requerimentos.

Leia tudo sobre: fundos de pensão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas