Comissão de Justiça do Senado aprova voto distrital para vereadores

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Se passar pelo crivo dos deputados federais, medida poderá valer para cidades com mais de 200 mil eleitores já em 2016

Agência Brasil

Os vereadores de municípios com mais de 200 mil eleitores poderão ser escolhidos por voto distrital. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira (22) a mudança prevista no projeto de lei 25/2015.

Pela proposta do senador José Serra (PSDB-SP), as cidades desse porte serão divididas em distritos, em número igual ao de vagas na Câmara Municipal. Cada distrito elegerá um vereador por maioria simples (50% dos votos mais um). O candidato mais votado será o eleito.

Blog do Kennedy: Mudar financiamento é mais importante que reforma política

Reforma política é unanimidade repleta de divergências entre seus defensores

O texto prevê que o partido ou coligação registre apenas um candidato por distrito e cada vereador terá um suplente. Os tribunais regionais eleitorais serão responsáveis pela definição dos distritos, observando a continuidade do território e a igualdade de voto.

O relator na CCJ, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), leu seu voto favorável ao projeto e conseguiu aprovar uma emenda para excluir dispositivo que previa o fim da propaganda eleitoral dos candidatos a vereador.

Apesar de haver dificuldade técnica para divulgar a propaganda eleitoral focada no distrito, Eunício Oliveira disse que caberá aos partidos definir quais distritos e candidatos devem ter prioridade.

Se não houver apresentação de recurso para que a matéria seja examinada pelo plenário do Senado, a proposta segue direto para a Câmara dos Deputados. A expectativa é que a proposta seja decidida a tempo de valer para as eleições de 2016.

Leia tudo sobre: voto distritalsenadovereadores

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas