Nesta semana, Polícia Federal pediu ao STF mais prazo para concluir inquérito policial; pedido será devolvido até quinta

Agência Brasil

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse nesta quarta-feira (15) que as investigações da Polícia Federal (PF) de parlamentares envolvidos na Operação Lava Jato ainda devem levar mais de 60 dias.

Esta semana a PF pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) mais prazo para concluir o inquérito policial. Segundo o procurador-geral, o regimento interno do Supremo prevê prorrogações de 30 e 60 dias. “Mas acho difícil ainda concluir nos próximos 60 dias; investigação é isso”.

Antonio Cruz/Agência Brasil
"As investigações estão seguindo o curso normal, mas ela será demorada", afirmou Rodrigo Janot

Janot ressaltou que o Ministério Público está avaliando o pedido da PF e deve devolvê-lo até quinta-feira (16) ao ministro Teori Zavascki, relator do processo no STF. “A tendência será conceder mais prazo porque são várias diligências ainda a serem realizadas. As investigações estão seguindo o curso normal, mas ela será demorada. É difícil estabelecer prazo, pois temos inquéritos mais avançados que outros e diligências mais e menos complexas”.

Leia também:

Tesoureiro do PT é preso pela Polícia Federal em nova fase da Lava Jato

"Este é o mais triste retrato do PT", diz Aécio Neves sobre prisão de Vaccari

O procurador-geral participou nesta quarta, no Ministério da Justiça, da assinatura do acordo de repatriação pela Suíça de mais de R$ 60 milhões ao Brasil. O valor é relacionado aos crimes apurados na Operação Anaconda da PF, deflagrada em 2003.

Na ocasião, o ministro da Justiça José Eduardo Cardozo falou sobre o mandado de prisão do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto. “Como todas as operações da PF sou avisado no momento da deflagração, aquele momento em que o mandado já está pronto para ser executado, para a ação. Hoje o diretor da PF me comunicou pessoalmente por volta das 6h30 e eu, então, informei à presidenta [Dilma Rousseff]”.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.