"Este é o mais triste retrato do PT", diz Aécio Neves sobre prisão de Vaccari

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

O senador disse ainda que o PT está fragilizado e afirmou que o PSDB discute a possibilidade de pedir o impeachment de Dilma

O senador Aécio Neves (PSDB) disse, nesta quarta-feira (15) que a prisão do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, é "o mais triste retrato de um partido político que abdicou de um projeto de País para se manter a qualquer custo no poder, cometeu crimes sucessivos como esses que levam o seu tesoureiro responsável pelas suas finanças, a estar preso". 

Vaccari Neto foi preso pela Polícia Federal de São Paulo nesta manhã acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, com base em depoimentos de delatores da operação. Eles afirmam que o tesoureiro intermediou doações de propina em contratos com fornecedores da Petrobras e que o dinheiro foi usado para financiar campanhas políticas. Ele foi transferido para carceragem da PF, em Curitiba (PR). 

Leia também: Aécio puxa o tema do impeachment no PSDB

Surpreso com prisão, PT teme virar alvo se abandonar Vaccari

Depois da prisão, defesa de Vaccari entra com recurso nesta quarta-feira
 
Aécio Neves também afirmou que a opção por manter Vaccari como tesoureiro do PT demonstra a fragilidade do partido. "O que mais me chama a atenção em todo este episódio, é que o PT tão fragilizado, hoje, não consegue sequer a licença e o afastamento do seu tesoureiro", disse ele.

O senador tucano disse ainda que o PSDB discute internamente a possibilidade de pedir o impeachment da presidente Dilma.

Há um conjunto hoje de acusações, entre elas ao que diz respeito, obviamente, a esse mais tormentoso de todos os casos envolvendo a Petrobras.

"Estamos avaliando com juristas se existe a caracterização de crime de responsabilidade. O impeachment, repito, não é algo que esteja ainda prioritariamente na agenda do PSDB, mas não é um golpe", disse ele. 


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas