Lula pede que Dilma intervenha para evitar aprovação do PL da terceirização

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-presidente fez apelo na noite desta terça-feira ao participar do 9° Congresso Nacional dos Metalúrgicos da CUT em Guarulhos (SP)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu na noite desta terça-feira (14) para que a presidente Dilma Rousseff intervenha para que não seja aprovado o Projeto de Lei 4330 que regulamenta a terceirização no País. O texto está em análise pela Câmara dos Deputados e tem entre seus aliados o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). 

Ex-presidente Lula também se engajou contra projeto da terceirização que tramita no Congresso
Roberto Parizotti/CUT
Ex-presidente Lula também se engajou contra projeto da terceirização que tramita no Congresso

Leia também

Lula convoca PT e movimentos sociais para defenderem Dilma Rousseff

FHC diz que Lula e Dilma são responsáveis por escândalos na Petrobras

"Dilma, tente fazer com que o Congresso Nacional respeite os direitos da classe trabalhadora brasileira. Não deixar aprovar a lei 4330. É uma questão de honra para a classe trabalhadora brasileira. A CLT foi uma conquista da sociedade brasileira. Por isso muita gente não gostou do Getúlio", lembrou em seu discurso na solenidade de abertura do 9° Congresso Nacional dos Metalúrgicos da CUT no município de Guarulhos, na grande São Paulo. 

Presente ao ato, o presidente nacional da CUT Vagner Freitas também alertou os trabalhadores sobre o que representa a aprovação do texto. 

"Se passar o 4330, você vai ser demitido. O 4330 é um assassinato à nossa dignidade, vem desmoralizar as entidades sindicais e uma ação política dessa direita conservadora brasileira. Nós estamos numa trincheira importantíssima”.

Convocando os trabalhadores para os atos de rua desta quarta-feira, Freitas destacou que é preciso “lutar ainda mais” para evitar a aprovação da matéria. Ele defendeu também uma reforma política pautada prioritariamente pelo fim do financiamento de campanhas políticas por empresas.  

Política

O líder petista creditou ao PT a criação de mecanismos de combate à corrupção e sublinhou que até agora só diplomados foram presos.

“Eles tentaram fazer comigo exatamente o que eles estão fazendo com a Dilma. Vocês estão lembrados que há dez anos há uma política premeditada de criminalizar o PT. O que eu fico chateado é que nunca eles vão reconhecer que o PT criou os instrumentos de investigações nesse País... Até agora, todos que roubaram tem diploma”, arrematou.

O ex-presidente também defendeu que os adversários do PT estão tentando criminalizar as doações eleitorais recebidas pela sigla e defendeu a punição de todos os partidos que receberam doações ilegais.

“Quem é que pega dinheiro de pobre para fazer campanha? Vamos investigar de verdade. Ou será que dinheiro tucano veio da quermesse? Por acaso vocês viram algum tucano pegar dinheiro do pastel de feira. É legal o empresário dar dinheiro aqui e em qualquer lugar do mundo. Então veja, se alguém do PT ou qualquer partido político pegou dinheiro ilegal, ele deve ser punido”, defendeu.

Mau humor e amigo oculto

Lula disse que há uma tentativa de oposição de gerar pessimismo a partir de São Paulo e sugeriu ao movimento sindical que encomendasse uma pesquisa para saber se há recessão no estado. 

"Não podemos permitir que a infâmia, a má fé e o mau caratismo de algumas pessoas venham destruir um projeto como esse [do PT]", apelou.

O líder petista classificou a grande mídia como um "amigo oculto" que só destaca notícias ruins. "Se não for notícia ruim, não sai". Comentando a manchete do jornal Folha de S.Paulo que publicou que a queda de Dilma nas pesquisas afetam a imagem dele.

"O cara que fez essa manchete acha que eu vou brigar com a Dilma, que eu não vou mais tirar foto com ela. A Dilma faz parte de um projeto. Se esse projero não der certo com a Dilma, não vai dar certo com mais ninguém", disparou.

Num recado à presidente, Lula voltou a conclamar os movimentos sociais e sindicais a defender o governo. "Dilma, se tem gente que vai pra rua para te defender e te ajudar a sair dessa enrascada que nós estamos é essa gente aqui".



compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas