A concentração inicial dos manifestantes ocorre na Esplanada dos Ministérios, em frente à Biblioteca Nacional de Brasília

Agência Brasil

A manifestação contra a corrupção e a favor da democracia e do impeachment da presidenta Dilma Rousseff reúne no centro de Brasília mais de 3 mil pessoas, segundo números da Polícia Militar do Distrito Federal. A concentração inicial dos manifestantes ocorre na Esplanada dos Ministérios, em frente à Biblioteca Nacional de Brasília.

LEIA MAIS:  Manifestantes contrários à Dilma voltam às ruas neste domingo

Na maioria, os manifestantes usam camisas nas cores verde e amarelo e muitos exibem bandeiras do Brasil. "Tive o desprazer de ser criança e adolescente em meio à ditadura e ver a democracia avacalhada é triste. O que está acontecendo agora com o país não é bom", disse à Agência Brasil a servidora pública Maria do Amparo.

O ato organizado pelas redes sociais transcorre em clima pacífico, com muito pais acompanhados dos filhos. A Polícia Militar montou uma série de bloqueios em meio à Esplanada dos Ministério para fazer a revistas nas pessoas que chegam ao local com mochilas ou pochetes. Ao todo, 3 mil militares foram mobilizados para acompanhar as manifestações.

Com sol forte, muitos manifestantes procuram abrigo próximo a árvores e sob alguns monumentos. Para a aposentada Lucia Monteiro, o brasileiro deve ir às ruas para provocar mudanças na política do país. "Para que se mude é preciso que se peça a mudança. Se nunca se reclamar, nunca vai haver mudança."

Um pequeno grupo de pessoas ligadas à Ordem Dourada do Brasil pede a "intervenção militar Constitucional". "O impeachment não é a solução", disse o militar da reserva Nando Patriota, um dos líderes do movimento. O pedido de intervenção militar foi vaiado e os carros de som dos demais movimentos aumentaram o volume no momento em que as pessoas da Ordem Dourada do Brasil falam de outro trio elétrico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.