Partido considera que errou ao não brigar pelos mandatos de Cristovam Buarque e Marina Silva no passado e não quer cometer o mesmo erro com ex-prefeita de São Paulo

O PT pedirá na Justiça o mandato de Marta Suplicy tão logo a senadora oficialize sua saída do partido. Marta confirmou a saída a aliados e seu rumo deve ser o PSB. Ela tem a intenção de disputar a prefeitura de São Paulo no ano que vem e resolveu buscar espaço em outra legenda depois que ficou claro que o PT não tiraria Fernando Haddad, atual prefeito da capital paulista, do páreo pela reeleição. Na avalição de petistas, Marta deve deixar o partido até o final deste mês.

RELEMBRE:  Marta Suplicy entrega carta de demissão e deixa Ministério da Cultura

Embora fontes da direção nacional confirmem que o partido irá a Justiça para recuperar o mandato de Marta, essa ação será feita por meio do PT de São Paulo, estado pelo qual a senadora se elegeu em 2010. O partido está otimista e acredita que poderá reaver essa cadeira no Senado. Como o primeiro suplente de Marta é o ex-presidente da Câmara Municipal de São Paulo, Antônio Carlos Rodrigues (PR), que hoje é ministro dos Transportes, quem assumiria a vaga em caso de vitória jurídica do PT seria Paulo Frateschi (PT).

O PT avalia que cometeu um erro ao não buscar na Justiça os mandatos de Cristovam Buarque (PDT-DF) e Marina Silva (PSB-AC) quando ambos deixaram o partido e por isso não pretende cometer o mesmo erro. O PT tem 14 cadeiras no Senado e é a segunda maior bancada da Casa, atrás apenas do PMDB, que tem 18. Marta também deve perder espaços que ocupa atualmente nas comissões do Senado. A ex-prefeita de São Paulo tem feito críticas sistemáticas à gestão da presidente Dilma Rousseff desde que decidiu deixar a sigla.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.