Márcio Martins Oliveira ocupa um “cargo de natureza especial” (de livre nomeação) na segunda vice-presidência da Câmara

Agência Câmara

O homem que soltou roedores na CPI da Petrobras no momento em que o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, entrava para depor é funcionário da Câmara e será exonerado. A informação é da assessoria de imprensa da Câmara dos Deputados.

Leia também:  Vaccari confirma que foi ao escritório de Barusco: "mas ele não estava"

Manifestante solta ratos no plenário da CPI da Petrobras

Ao vivo:  Acompanhe agora o depoimento de Vaccari

Deputado Marco Feliciano publicou a imagem de um dos ratos que foram soltos durante sessão da CPI da Petrobras
Reprodução/Twitter Marco Feliciano
Deputado Marco Feliciano publicou a imagem de um dos ratos que foram soltos durante sessão da CPI da Petrobras

O funcionário foi detido pela Polícia Legislativa logo após ter soltado os animais. Ele foi identificado como Márcio Martins Oliveira e ocupa um “cargo de natureza especial” (de livre nomeação) na segunda vice-presidência da Câmara.

A deputada Professora Marcivania (PT-AP) esteve no Departamento de Polícia Legislativa Federal (Depol) e disse que Marcio se mostrava confuso, afirmando inclusive que não sabia como havia chegado à Câmara. Marcio continua detido.

Também esteve no local o assessor jurídico do PT Adilson José Carlos Barbosa. Ele disse que o partido vai registrar ocorrência no Depol por "constrangimento".

Os deputados Paulão (PT-AL) e Adelmo Leão (PT-MG) estiveram há pouco no Depol e afirmaram que a intenção do funcionário, ao soltar os roedores, era desmoralizar a Câmara. Os deputados afirmaram ainda que querem apurar se ele agiu a mando de alguém e reclamaram que o advogado do PT foi impedido de acompanhar o depoimento.


Veja os políticos que estão na lista da Operação Lava Jato


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.