Representantes dos diretórios do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina levantaram pedido de afastamento que pode ser pautado em reunião do Diretório Nacional, no dia 17 de abril

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, defendeu a permanência no cargo de João Vaccari Neto, tesoureiro do partido acusado de receber doações de campanha ilegais durante as eleições de 2010. A defesa ocorreu no começo da noite desta segunda-feira (30), durante reunião da Executiva Nacional realizada em um hotel na zona sul de São Paulo.

João Vaccari Neto: ele foi um dos políticos citados na investigação da Operação Lava Jato
Agência Brasil
João Vaccari Neto: ele foi um dos políticos citados na investigação da Operação Lava Jato

Durante o encontro, os representantes dos diretórios regionais dos Estados de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul sugeriram em carta o afastamento de qualquer integrante do partido que seja citado em irregularidades.

Leia mais:
PT afirma que doações recebidas por Vaccari são legítimas

"Mas aqui não era também um local para deliberações. Deliberação é no Diretório Nacional, no dia 17 de abril", explicou Rui Falcão. "Se eles [diretórios] apresentarem isso [afastamento de pessoas citadas em escândalos] como proposta no Diretório Nacional, aí sim."

Veja os políticos que foram citados na Operação Lava Jato:

A seguir, Falcão enfatizou que não há nenhuma proposta formal em curso no partido que defenda o afastamento de Vaccari Neto enquanto pairam as investigações sobre ele. O dirigente petista argumentou que nada foi provado contra o tesoureiro.

"Ele [Vaccari] está sendo investigado há um ano, já teve o sigilo fiscal, bancário e telefônico quebrado; já depôs na Polícia Federal, não está preso. Ele é acusado. Acusado não necessariamente é culpado. Não há nenhuma proposta, até o momento, para que o companheiro Vaccari seja afastado das suas funções. Se houver, ela será examinada."

Leia também:
Juiz abre ação contra Renato Duque, Vaccari e mais 25 investigados na Lava Jato
PT deve manter apoio para que João Vaccari continue como tesoureiro
Dirigentes do PT lançam manifesto pedindo volta do partido aos anos 1980

Além dos diretórios gaúcho e catarinense, outra voz de peso se manifestou pelo afastamento de Vaccari Neto. O ex-governador do Rio Grande do Sul e ex-ministro da Justiça do governo Luiz Inácio Lula da Silva, Tarso Genro (RS). Falcão minimizou a defesa do político gaúcho dizendo que ele não teve assento na reunião desta segunda-feira nem qualquer participação na mesma.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.