Caso ela não compareça, comissão tentará convocar o doleiro Alberto Youssef, considerado o principal delator da Lava Jato

Agência Brasil

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras deve ouvir na quinta-feira (26) o depoimento da ex-presidenta da empresa, Graça Foster. Ela foi convocada para substituir o depoimento do ex-representante da empresa holandesa SBM Offshore, Julio Faerman, que não foi localizado pela CPI.

Graça foi convocada para substituir o ex-representante da empresa holandesa SBM Offshore
Fotos Públicas
Graça foi convocada para substituir o ex-representante da empresa holandesa SBM Offshore

De acordo com a secretaria da comissão, a informação é que Faerman mora no exterior, mas seu endereço não foi localizado. "Convocamos a Graça [Foster] e vamos ver como vai ser", informou o presidente da comissão, deputado Hugo Motta (PMDB-PR), após reunião fechada com o relator, sub-relatores e líderes patidários.

A SBM é acusada de integrar o esquema da pagamento de propina a funcionários da Petrobras para obter contratos com a estatal. Em depoimento à CPI, o ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco, primeiro a depor, disse que sua participação no esquema começou em 1997, recebendo propina da empresa holandesa.   

Leia mais:

Em nota, PT afirma que doações recebidas por Vaccari são legítimas

Mercadante confia em “sinais” de Dilma para ter sobrevida no Planalto

O depoimento da ex-presidente da Petrobras já havia sido aprovada pela CPI, mas faltava definir a data. Caso Graça Foster, por algum motivo não compareça quinta-feira, a comissão tentará convocar o doleiro Alberto Youssef, considerado o principal delator da Operação Lava Jato. Nesta terça-feira (24) à tarde, o colegiado volta a se reunir para deliberar sobre 442 requerimentos.

Saiba quem são os políticos que estão na lista da Operação Lava Jato:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.