Entre os presos que serão transferidos estão o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque e o empresário Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano

Agência Brasil

Polícia Federal alegou não ter mais condições de manter todos os presos na carceragem da superintendência de Curitiba
Gil Ferreira/Agência CNJ/Divulgação
Polícia Federal alegou não ter mais condições de manter todos os presos na carceragem da superintendência de Curitiba

O juiz federal Sérgio Moro autorizou nesta segunda-feira (23) a transferência de 12 presos na Operação Lava Jato  para o Complexo Médico Penal, presídio em Curitiba. Moro atendeu a um pedido da Polícia Federal (PF), que alegou não ter mais condições de manter todos os presos em várias fases da operação na carceragem da Superintendência da PF na capital paranaense. Entre os presos que serão transferidos estão o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque e o empresário Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano.

Semana passada:  Juiz pede liberação de três presos na décima fase da operação Lava Jato

Leia também:  Suíça bloqueia R$ 1,3 bilhão de contas de investigados na Lava Jato

A decisão também atinge executivos de empreiteiras: Agenor Franklin Magalhães Medeiros, José Aldemário Pinheiro Filho, José Ricardo Nogueira Breghirolli e Mateus Coutinho de Sá Oliveira (OAS); Erton Medeiros Fonseca (Galvão Engenharia); Gerson de Mello Almada (Engevix); João Ricardo Auler (Camargo Corrêa) e Sérgio Cunha Mendes (Mendes Júnior).

Veja os políticos que estão sendo investigados pela Lava Jato

Adir Assad e Mário Goes, acusados de atuarem como operadores do esquema de desvios na Petrobras também serão transferidos. O ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Ceveró vai permanecer na carceragem da PF porque ele está fazendo tratamento psicológico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.