Suíça bloqueia R$ 1,3 bilhão de contas de investigados na Lava Jato

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo autoridades, foram localizadas 300 contas, nas quais houve movimentação de milhões de dólares por ex-diretores da Petrobras e executivos das empreiteiras investigadas

Agência Brasil

O Ministério Público da Suíça anunciou hoje (18) o bloqueio de R$ 1,3 bilhão de empresas e pessoas envolvidas na Operação Lava Jato. O valor é equivalente a US$ 400 milhões. O bloqueio faz parte de um acordo de cooperação com o Ministério Público Federal, responsável pela investigação.

De acordo com as autoridades suíças, foram localizadas 300 contas, nas quais houve movimentação de milhões de dólares por ex-diretores da Petrobras e executivos das empreiteiras investigadas. Até o momento, R$ 390 milhões (US$ 120 milhões) foram repatriados.

Na semana passada, a Procuradoria-Geral da República anunciou a repatriação de R$ 139 milhões pertencentes ao ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco. O dinheiro estava depositado em contas na Suíça e foi transferido para uma conta da Justiça Federal em Curitiba,  responsável pelas investigações da Operação Lava Jato na primeira instância.

Recentemente, os investigadores localizaram também, na Suíça, depósitos do ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque. Ele foi preso nessa segunda-feira (16), porque transferiu 20 milhões de euros da Suíça para Mônaco, em uma possível tentativa de esconder o dinheiro dos investigadores da Operação Lava Jato. A defesa do ex-diretor nega recebimento de propina e que ele tenha contas secretas no exterior. 

Leia tudo sobre: lava jatooperação lava jatoR$ 1,3 bilhãosuíça

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas