Conheça a trajetória de Cid Gomes

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Envolvido com política desde os 20 anos de idade, Cid teve seu auge como governador do Estado do Ceará, entre 2007 e 2015

Cid Gomes, 51 anos, teve um mandato-relâmpago no Ministério da Educação. O político cearense assumiu oficialmente a pasta no dia 2 de janeiro de 2015, um dia após a presidente Dilma Rousseff ter indicado seu nome para ela. Entregou a carta de demissão menos de três meses depois de ter iniciado o trabalho como ministro.

Ministro deixa Câmara dos Deputados após entregar carta de renúncia à presidente Dilma
ALAN SAMPAIO/iG BRASILIA
Ministro deixa Câmara dos Deputados após entregar carta de renúncia à presidente Dilma

Nascido em abril 1963, Cid faz parte de uma família de homens envolvidos na política, como os irmãos Ivo e o mais conhecido deles, Ciro Gomes, que chegou a ser candidato à presidência da República em duas ocasiões, 1998 e 2002, além de ter sido ministro da Integração Nacional no governo Lula.

Leia mais:
No meio da crise, Cid Gomes deixa governo

Graduado em Engenharia Civil na Universidade Federal do Ceará, em Fortaleza, Cid ingressou na política bastante jovem, aos 20 anos, quando se filiou ao PMDB, em 1983. Cinco anos depois, se candidatou ao cargo de vice-prefeito da cidade de Sobral (CE), onde nasceu, pleito do qual saiu derrotado.

Confira fotos do agora ex-ministro Cid Gomes:

Cid Gomes deixa Câmara após apresentar carta de renúncia. Foto: Alan Sampaio /iG BrasíliaCid Gomes entregou à presidente Dilma sua carta de demissão do Ministério da Educação nesta quarta-feira (18) . Foto: Gustavo Lima/Câmara dos DeputadosCid Gomes foi indicado pela presidente ao Ministério da Educação no último dia 2 de janeiro . Foto: Gustavo Lima/Câmara dos DeputadosCid Gomes entre os ministros do segundo mandato de Dilma Rousseff. Foto: Roberto Stuckert Filho/Presidência da RepúblicaCid Gomes se indispôs com o Congresso depois de comentário polêmico. Foto: Gustavo Lima/Câmara dos DeputadosCid Gomes foi empossado como ministro da Educação no início do segundo mandato da presidente Dilma Rousseff. Foto: Gustavo Lima/Câmara dos Deputados

O primeiro cargo na política de fato foi o de deputado estadual do Ceará, no qual permaneceu entre janeiro de 1991 e dezembro de 1995. No ano seguinte, voltou a concorrer à prefeitura de sua cidade natal, desta vez como titular do Poder Executivo, e venceu, sendo reeleito quatro anos depois. No total, permaneceu na prefeitura do município entre os anos de 1997 e 2004.

O auge do agora ex-ministro da Educação se deu em 2006, quando foi eleito, e posteriormente reeleito, governador do Estado do Ceará, permanecendo no cargo entre 2007 e 2015.

Leia também:
Após discussão na Câmara, Cid Gomes deixa comando de ministério
Eduardo Cunha diz que vai processar Cid Gomes por acusações

Ao entregar a carta de demissão, Cid estava afastado do Ministério da Saúde por problemas de saúde, algo recorrente nos últimos anos. Em junho passado, ele desmaiou durante uma convenção do PDT realizada em Fortaleza, episódio que se repetiu em duas ocasiões – meses antes, em abril, e em 2012.

O secretário-executivo do Ministério da Educação, Luíz Cláudio Costa, assume interinamente a pasta até a indicação do substituto de Cid pela presidente.

Polêmicas
Não foram poucos os episódios que repercutiram de forma negativa ao longo do da trajetória de Cid, especialmente quando de seu mandato de governador cearense. Em agosto de 2012, por exemplo, ele usou dos cofres públicos quase R$ 600 mil para pagar por coquetel de inauguração do Centro de Eventos do Ceará, regado a camarões e bebidas de marca.

Em 2013, foi criticado por admitir ter não só participado de eventos oficiais, mas também aproveitado parte de uma viagem que fez à Itália como governador do Ceará. Em agosto daquele ano ainda foi atacado por prometer sortear ingressos para um show da cantora Beyoncé para os internautas que "curtissem" sua página no Facebook. 

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas