Adesões ao ato começaram perto das 9h deste domingo (15) no posto 5; com cartazes, muitos pedem a intervenção militar

Manifestantes cariocas começaram a se reunir no posto 5 de Copacabana perto das 9h deste domingo (15). Ato reúne mais cerca de 20 mil pessoas. Organizado pelas redes sociais, o protesto pede o impeachment da presidente Dilma Rousseff, mas alguns opositores vão além e propõem a intervenção militar. 

"Peço a intervenção porque é o que nos resta. Vai sair ela [Dilma] e entrar quem? PSDB? PMDB? Não muda muita coisa. É tudo vagabundagem", diz William Credes, de 28 anos, que pintou parte do corpo nas cores da bandeira do País. 

No entanto, o engenheiro Marcelo Medeiros, de 66 anos, do Movimento 31 de Julho, falou, em cima de um dos três caminhões de som que puxam a manifestação, que o ato é do povo. "Quem esperava uma intervenção militar, está vendo uma intervenção popular hoje ao vivo e a cores", falou. Segundo ele, protesto foi organizado por trêss grandes grupos: Vem Pra Rua , Brasil Limpo e Cariocas Direitos. 

Entoando gritos de guerra como "Nossa bandeira nunca será vermelha", "Lula cachaceiro, devolve o meu dinheiro" e "Ooooh, o PT roubou", manifestantes também pedem o fim da corrupção e a reforma política. Cerca de 850 políciais fazem a segurança da manifestação no Rio. 

Perto das 11h, a passeata seguiu em direção ao Leme. O protesto deve parar perto do Copacabana Palace.

* Notícia em atualização

Leia tambémNas ruas, manifestantes repudiam a corrupção e pedem a saída de Dilma


    Leia tudo sobre: impeachment
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.