Ratinho e empresários de mídia mantiveram contas secretas no HSBC

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo informações divulgadas pelo jornalista Fernando Rodrigues, do UOL, apresentador do SBT tinha US$ 12 milhões

O apresentador do SBT Carlos Massa, o Ratinho, e outros 22 proprietários ou herdeiros de empresas jornalísticas brasileiras possuíam contas secretas no banco HSBC, em Genebra (Suíça) no período entre 2006 e 2007. A prática não é ilegal, mas deve ser comunicada ao Banco Central brasileiro.

Apresentador Carlos Massa, o Ratinho, tinha pouco mais de US$ 12 milhões na Suíça
Reprodução
Apresentador Carlos Massa, o Ratinho, tinha pouco mais de US$ 12 milhões na Suíça

Leia mais: Requerimento de criação de CPI do HSBC é protocolado no Senado

Amaury Ribeiro Jr. deixa o ICIJ por causa da cobertura das contas do HSBC

A informação foi divulgada pelo jornalista Fernando Rodrigues, do portal UOL, que tem acesso à lista de mais de 8 mil correntistas brasileiros.

O apresentador do SBT, por exemplo, possuía US$ 12 milhões. A víuva de Roberto Marinho, Lily, falecida em 2011, também aparece na lista. Ela foi casada com Horácio de Carvalho (1908-1983) e Roberto Marinho (1904-2003). O primeiro foi proprietário do extinto “Diário Carioca” enquanto o segundo era dono das Organizações Globo. O nome de Lily surge nos documentos com o sobrenome de Horácio, seu primeiro marido, e o representante legal da conta junto ao HSBC é a Fundação Horácio de Carvalho Jr. O saldo: US$ 750,2 mil. 

Quatro integrantes da família Saad, dona da Rede Bandeirantes, também tinham contas no HSBC, de acordo com os aequivos. Constam da relação o fundador da Bandeirantes, João Jorge Saad (1919-1999), a empresária Maria Helena Saad Barros (1928-1996) e de Ricardo Saad e Silvia Saad Jafet. O saldo, no entanto, é zerado.

Mesma situação dos principais acionistas do Grupo Folha: os empresários Octavio Frias de Oliveira (1912-2007) e Carlos Caldeira Filho (1913-1993). Luiz Frias (atual presidente da Folha e presidente/CEO do UOL) aparece como beneficiário da mesma conta. Criada em 1990, a conta foi encerrada oficialmente em 1998. Em 2006/07, os arquivos do banco ainda mantinham os registros, mas a conta estava inativa e zerada.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas