Sem endossar impeachment, PSDB declara apoio formal aos protestos

Por iG Brasília |

compartilhe

Tamanho do texto

Plano dos tucanos é reforçar os movimentos e levar militantes para a rua, sem aderir abertamente ao discurso pela saída de Dilma Rousseff do governo

Aécio, líder tucano, garante que partido não endossa o impeachment de Dilma
Edilson Rodrigues/Agência Senado
Aécio, líder tucano, garante que partido não endossa o impeachment de Dilma

O PSDB decidiu apoiar oficialmente as manifestações chamadas para o próximo domingo (15), em oposição ao governo da presidente Dilma Rousseff. Reunida nesta manhã em Brasília, a executiva nacional do partido divulgou nota em que se “solidariza” com as “manifestações de indignação dos brasileiros, diante da flagrante degradação moral e do desastre econômico-social promovidos pelo governo”.

Leia tambémCUT nega que governo tenha pedido cancelamento de manifestação

O partido, entretanto, seguiu a linha que já vinha sendo ditada por dirigentes nacionais de não apoiar publicamente pedidos de impeachment da presidente Dilma Rousseff, como informou nesta quarta-feira o Poder Online.

“O PSDB defende a livre manifestação de opinião e o direito à expressão dos cidadãos e, portanto, apoia os atos pacíficos e democráticos convocados para o próximo dia 15 de março em todo o país”, diz a nota. Ainda assim, os dirigentes nacionais decidiram acatar as sugestões recebidas de instâncias regionais, como o diretório paulista do partido, de chamar a militância para aderir aos protestos.  Havia divergência na executiva nacional sobre se seria o caso de fazer uma convocação formal da base do PSDB para que vá às ruas no domingo.

Leia tambémMST faz manifestação sexta-feira em apoio à Petrobras

Na nota, o PSDB também afirmou que as manifestações são “mais do que uma garantia constitucional” e condenou toda tentativa de “cercear e deturpar o direito à livre manifestação”. “Na verdade, ao contrário do que alguns tentam fazer crer, os protestos que ocorrem nas redes sociais e nas ruas não defendem um terceiro turno, mas a rigorosa apuração de responsabilidades sobre a corrupção endêmica incrustrada no corpo do estado nacional, e cobra o abandono dos compromissos assumidos publicamente com a população. São manifestações legítimas de um país que vive em plena democracia e se posiciona perante múltiplas e graves crises”, informa a nota.

“Acreditamos que a participação popular melhora as instituições e eleva os padrões de governança pública. Por isso, o PSDB, através de seus militantes, simpatizantes e várias de suas lideranças participará, ao lado de brasileiros de todas as regiões do país, desse movimento apartidário que surge do mais legítimo sentimento de indignação da sociedade brasileira”, prossegue o documento. “O PSDB reitera seu compromisso com todos os que desejam um país mais forte, íntegro, justo, solidário e democrático”, emenda.

Leia a íntegra da nota do PSDB:

Nota oficial do PSDB sobre as manifestações populares convocadas para o dia 15 de março

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) se solidariza com as manifestações de indignação dos brasileiros diante da flagrante degradação moral e do desastre econômico-social promovidos pelo governo Dilma Rousseff.

O PSDB defende a livre manifestação de opinião e o direito à expressão dos cidadãos e, portanto, apoia os atos pacíficos e democráticos convocados para o próximo dia 15 de março em todo o país.

Mais do que uma garantia constitucional, a liberdade de pensamento e de crítica é fundamento essencial para o fortalecimento da vida democrática e o enraizamento social dos valores republicanos.

O PSDB repudia a atitude daqueles que, em nome de seus interesses partidários, cerceiam e deturpam o direito à livre manifestação, e tentam convencer a população de que a crítica aos governantes se confunde com atentados contra a ordem institucional e o Estado de Direito.

Na verdade, ao contrário de que alguns tentam fazer crer, os protestos que ocorrem nas redes sociais e nas ruas não defendem um terceiro turno, mas a rigorosa apuração de responsabilidades sobre a corrupção endêmica incrustrada no corpo do estado nacional, e cobra o abandono dos compromissos assumidos publicamente com a população. São manifestações legítimas de um país que vive em plena democracia e se posiciona perante múltiplas e graves crises.

Acreditamos que a participação popular melhora as instituições e eleva os padrões de governança pública. Por isso, o PSDB, através de seus militantes, simpatizantes e várias de suas lideranças participará, ao lado de brasileiros de todas as regiões do país, desse movimento apartidário que surge do mais legítimo sentimento de indignação da sociedade brasileira.

O PSDB reitera seu compromisso com todos os que desejam um país mais forte, íntegro, justo, solidário e democrático.

Senador Aécio Neves
Presidente Nacional do PSDB

Senador Cássio Cunha Lima
Líder do PSDB no Senado Federal

Deputado Carlos Sampaio
Líder do PSDB na Câmara dos Deputados 

Leia tudo sobre: impeachmentPSDBDilmamanifestação

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas