CUT nega pedido do governo para cancelar manifestação

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Governo teria pedido para que centrais sindicais adiassem ou cancelassem manifestação que ocorrerá no dia 13 de março

Na última terça-feira (10), parte da imprensa brasileira noticiou que o governo teria pedido que a Central Única dos Trabalhadores (CUT) adiasse ou cancelasse a manifestação marcada para a próxima sexta-feira (13) em defesa dos direitos da classe trabalhadora, da Petrobras e da democracia e reforma política. A central garante, no entanto, que tudo não passou de boato.

A Secretaria-Geral da Presidência, encarregada de entendimento com os movimentos sociais, também negou que tivesse feito tal pedido à CUT. Segundo o Jornal de Brasília, o pedido teria ocorrido para que fossem evitadas comparações entre o número de presentes no ato "pró governo" com um contra o governo.

Entenda: Governo pede à CUT que adie ou cancele manifestação do dia 13  

A CUT não estima quantos manifestantes estarão presentes na manifestação, mas 15 instituições assinam o manifesto sobre a data. Entre elas, outras centrais sindicais como a Federação Única dos Petroleiros (FUP) e a Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), o Fora do Eixo MÍDIA Ninja (FDE) e a Marcha Mundial das Mulheres (MMA).

Até o momento, 26 estados confirmaram os locais de mobilização em suas capitais. Em São Paulo, a concentração começa às 15h, na Avenida Paulista, em frente ao prédio da Petrobrás (número 901).

+ MST faz manifestação sexta-feira em apoio à Petrobras, confirma Stédile

A manifestação revindicará os direitos da classe trabalhadora – a CUT afirma que nenhum governo governo pode mexer nos direitos da classe trabalhadora, e defenderá a Petrobrás, que segundo a central " é a empresa que mais investe no Brasil e que representa 13% do PIB Nacional".

Também entram na pauta a defesa da democracia, em apoio à Constituição e contra a influência do poder econômico sobre o processo eleitoral, e da reforma política.

Já no próximo domingo (15), ocorre um protesto contra o governo da presidente Dilma Rousseff. Alguns grupos chegam a pedir seu impeachment.

Leia tudo sobre: cutcentrais sindicaisbrasilmanifestaçãoprotesto

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas