Presidente da Câmara vai depor na CPI da Petrobras na quinta-feira

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Cunha foi um dos parlamentares citados na lista enviada ao STF com pedido de abertura de inquéritos para investigar pessoas mencionadas em depoimentos da Operação Lava Jato

Agência Brasil

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), falará à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras na próxima quinta-feira (12). O anúncio foi feito hoje (10) pelo presidente da CPI, deputado Hugo Motta (PMDB-PB), no início da reunião destinada a ouvir o ex-gerente da Petrobras, Pedro Barusco.

Presos da Lava Jato usaram celular dentro da cadeia, diz ex-diretor da Petrobras

Dilma diz que impeachment sem justificativa é "ruptura democrática"

A visita de Eduardo Cunha ao plenário da CPI foi elogiada por parlamentares aliados e da oposição
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
A visita de Eduardo Cunha ao plenário da CPI foi elogiada por parlamentares aliados e da oposição


Cunha defende critérios mais claros para abertura de inquéritos contra políticos

“Ontem à noite recebi uma ligação do presidente [da Câmara, Eduardo Cunha] expressando o seu desejo de vir a essa comissão. Já tínhamos alguns requerimentos pedindo a sua presença, mas como não tem sessão deliberativa hoje, nós marcamos para a próxima quinta-feira o seu depoimento”, anunciou Motta ressaltando que o depoimento de Cunha é espontâneo.

Cunha foi um dos parlamentares citados na lista enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF), pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, com pedido de abertura de inquéritos para investigar pessoas mencionadas em depoimentos da Operação Lava Jato. Entre os nomes estão outros deputados federais, senadores, ex-governadores e ex-ministros de Estado.

Na última quinta-feira (5), Cunha compareceu de surpresa à primeira reunião da CPI e se colocou à disposição da comissão para esclarecer denúncias de envolvimento com o esquema de desvio de dinheiro e pagamento de propina na Petrobras.

Logo após a divulgação da lista, Cunha negou, por meio de nota, seu envolvimento com os atos ilícitos investigados pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

Leia tudo sobre: operação lava jatolava jatocunhacpipetrobras

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas