Pepe Vargas diz que governo não vê Renan como “adversário”

Por Luciana Lima - iG Brasília |

compartilhe

Tamanho do texto

Apesar da atitude do presidente do Senador de enfrentar o Planalto, Pepe Vargas disse que ligará para Renan com o objetivo de retomar o diálogo

O ministro de Relações Institucionais, Pepe Vargas disse nesta quarta-feira (4) que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) é considerado integrante de um partido aliado e que não é visto como adversário pelo governo. Pepe considerou a atitude de Renan, de devolver a medida provisória que previa a desoneração da folha de pagamentos, como uma “divergência” e disse que ligará para Renan com o objetivo de reatar o diálogo. 

Dilma promete conversar com líderes antes de mandar medidas ao Congresso

Leia também: Renan recusa convite de Dilma para jantar

Blog do Kennedy: Com chantagem política, Renan amplia crise e mira Dilma

“Não consideramos o presidente Renan um adversário. O consideramos um parlamentar, um  presidente do Senado, que faz parte do partido do vice-presidente da República, Michel Temer, e que faz parte dos partidos que compõe o nosso governo”, disse Pepe após participar das reuniões da presidente Dilma Rousseff com líderes da base na Câmara e no Senado.

 “Hoje de manhã não liguei porque estava envolvido nas reuniões, mas vou ligar a tarde”, disse Pepe, que tentou falar com Renan na tarde de terça-feira, no entanto, não foi atendido pelo peemedebista. 

“A gente nunca deixou de conversar com o presidente Renan. Ontem de manhã falei com o presidente Renan. Ele não nos alertou disso não. Quando recebemos a informação de que ele estava com esta intenção, até foi o senador Romero Jucá que me avisou eu liguei e coincidiu o momento em que ele estava no colégio de líderes já comunicando o que faria”, contou Pepe. 

Ministro Pepe Vargas
Agência Brasil
Ministro Pepe Vargas

O ministro disse ainda que o governo está disposto a ouvir as insatisfações de Renan. “Só tem um jeito: é sentar e conversar e ouvir estas insatisfações”, disse. 

Para tentar manter unida sua base no Congresso, a presidente Dilma passará a se reunir mensalmente com líderes da Câmara e do Senado no Palácio do Planalto. A decisão foi comunicada aos líderes nas reuniões realizadas nesta quarta-feira. 

“Por mais que os ministros conversem com parlamentares, sempre que a presidente da República tem oportunidade de falar com eles, cria uma relação diferenciada. Então, ouvir dos ministros é importante, mas ouvir da presidente é mais importante ainda. Os ministros ouvirem o que os os líderes da base têm a dizer é importante e a presidente ouvir é mais importante ainda”, disse Pepe ao fim das reuniões, nas quais a presidente explicou medidas que o governo deverá tomar nos próximos dias. 

Entre estas medidas estão mudanças nas regras do programa Minha Casa, Minha Vida, novos investimentos do Plano de Aceleração do Crescimento, questões macroeconômicas, além de ideias no campo da Educação. 

O ministro confirmou que durante as reuniões a presidente se comprometeu em discutir com os líderes antecipadamente as medidas a serem enviadas ao Congresso. 

“A presidenta fará reuniões mensais com os líderes da base no senado e na câmara e assumimos o compromisso de que medidas serão discutidas antes com a base”, disse Pepe. A única ressalva feita pelo governo referem-se a medidas que impactam a economia imediatamente.

 “São questões ligadas ao sistema financeiro, bolsa de valores, elas tem que ser implementadas sem aviso prévio”, explicou Pepe.

Conheça todos os ministros de Dilma:

Dilma posa ao lado dos 39 ministros de Estado. Foto: Roberto Stuckert Filho/Presidência da RepúblicaGilberto Occhi sai do Ministério das Cidades e vai para Integração Nacional. Foto: Bernardo Rebello/ Imprensa Caixa Economica FederalEx-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab será novo Ministro das Cidades. Foto: Alexandra Martins/Câmara dos DeputadosAntônio Carlos Rodrigues (azul) assumirá a pasta de Transportes. Foto: DivulgaçãoNelson Barbosa assumirá Planejamento a partir de 2015. Foto: Wilson Dias/Agência BrasilManoel Dias, continua no Ministério do Trabalho. Foto: Agencia Brasil/reproduçãoEx-ministro do Lula, Juca Ferreira volta para Ministério da Cultura em novo mandato de Dilma. Foto: Agência BrasilIndicado para Controladoria Geral da União, Valdir Simão foi presidente do INSS e secretário-executivo do Turismo. Foto: DivulgaçãoThomas Traumman foi escolhido como ministro da Comunicação Social. Foto: Agência BrasilJosé Elito Siqueira responderá pelo Gabinete de Segurança Institucional. Foto: DivulgaçãoMinistra Izabela Teixeira permanece a frente do Ministério do Meio Ambiente. Foto: DivulgaçãoCarlos Gabas vai substituir Garibaldi Alves no Ministério da Previdência. Foto: DivulgaçãoHelder Barbalho é o novo ministro da Pesca. Foto: Agencia Brasil/reproduçãoPrimeira negra a chefiar universidade federal, Nilma Lino Gomes assume Secretaria de  de Política de Promoção da Igualdade Racial. Foto: Agencia Brasil/reproduçãoJaques Wagner será novo ministro da Defesa. Foto: Agência BrasilVinicius Lages continua no comando do Ministério do Turismo. Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaKatia Abreu é nova ministra da Agricultura. Foto: Agência BrasilEx-ministro de FHC, Deputado Eliseu Padilha substituirá Moreira Franco na Aviação Civil. Foto: DivulgaçãoSenador Eduardo Braga vira ministro de Minas e Energia. Foto: Ricardo Stuckert/PRDeputado Edinho Araújo foi nomeado novo ministro da Secretaria Nacional de Portos. Foto: Agência CâmaraCid Gomes será novo ministro da Educação. Foto: Agência BrasilDerrotado nas últimas eleições, Armando Monteiro ganhou o Ministério do Desenvolvimento, indústria e Comércio Exterior. Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino George Hilton será novo ministro dos Esportes, no lugar de Aldo Rebelo. Foto:  Aldo Rebelo sai do Ministério dos Esportes para assumir a pasta de Ciência,Tecnologia e Inovação. Foto: Roosewelt Pinheiro/ABrAlexandre Tombini permaneceu como presidente do Banco Central. Foto: Wilson Dias/Agência BrasilJoaquim Levy assumirá Fazenda em 2015. Foto: Wilson Dias/Agência BrasilEx-chefe da SRI, Ricardo Berzoini (PT-SP), passará a comandar o Ministério das Comunicações. Foto: Allan Sampaio/iG Brasília Deputado federal Pepe Vargas (PT-RS), que comandou o MDA durante o primeiro mandato de Dilma, passará a ocupar a Secretaria de Relações Institucionais (SRI). Foto: Agência BrasilMiguel Rossetto foi confirmado na Secretaria Geral da Presidência da República. Foto: Fotos PúblicasDilma anunciou o petista Patrus Ananias (MG) para o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Foto: Denise MottaArthur Chioro continua no Ministério da Saúde. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom /Arquivo Agência BrasilEmbaixador Mauro Vieira será o ministro das Relações Exteriores. Foto: Wilson Dias/Agência BrasilEleonora Menicucci foi mantida da Secretaria de Políticas para Mulheres pela presidente Dilma Rousseff. Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaGuilherme Afif Domingos permanece na Secretaria de Micro e Pequena Empresa. Foto: Divulgação/Assembleia de São PauloNa Esplanada desde 2011, José Eduardo Cardozo permanece no Ministério da Justiça. Foto: Agência BrasilIdeli Salvatti continua na Secretaria de Direitos Humanos. Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaTereza Campello permance a frente do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaDilma mantém Aloizio Mercadante como ministro chefe da Casa Civil. Foto: DivulgaçãoMarcelo Neri continua à frente da Secretaria de Assuntos Estratégicos. Foto: ReproduçãoLuís Inácio Adams fica no comando da AGU no novo governo Dilma. Foto: Alan Sampaio / iG Brasília


Leia tudo sobre: Pepe VargasRenanSenadorPMDBdilma

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas