Cunha diz que ministro Cid Gomes será convocado para explicar críticas à Câmara

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Cid Gomes terá de prestar esclarecimentos sobre declarações que fez em relação à atual presidência da Casa do Legislativo

Agência Brasil

O presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), prometeu colocar em votação hoje (4) o requerimento que pede a convocação do ministro da Educação, Cid Gomes, para prestar esclarecimentos sobre declarações de que a direção da Câmara será um problema grave para o Brasil com a atual presidência. O requerimento foi apresentado pelo líder do DEM, deputado Mendonça Filho (PE), e outros.

O ministro da Educação, Cid Gomes: ele afirmou que deputados querem ver governo fragilizado
Agência Brasil
O ministro da Educação, Cid Gomes: ele afirmou que deputados querem ver governo fragilizado

As declarações foram feitas pelo ministro na última sexta-feira (27), em Belém, durante visita à Universidade Federal do Pará, em reunião com os professores e reitores de universidades federais. “Vamos colocar a matéria [requerimento] sobre a Mesa, e vamos aprovar. Ele vai ter de explicar quem são os achacadores do Congresso”, afirmou Eduardo Cunha.

Leia mais:
Cid Gomes oferece a Dilma novo partido para fazer frente à ‘chantagem’ do PMDB

De acordo com o requerimento, Cid Gomes disse que a Câmara “tem lá uns 400 deputados, 300 deputados [para quem] o quanto pior, melhor para eles. Eles querem é que o governo esteja frágil, porque é a forma de eles achacarem mais, tomarem mais, tirarem mais dele, aprovarem as emendas impositivas”. Cunha criticou a declaração. “Um governo que tem como lema “Pátria Educadora”, não pode ter um ministro da Educação mal-educado”, disse.

Leia também:
Cid Gomes lançará consulta pública sobre novas regras para o Enem
Cid Gomes diz que vai assumir compromissos de Dilma para a Educação

Eduardo Cunha disse que vai colocar em votação também hoje o projeto que regulamenta os direitos dos domésticos e a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 457/05) conhecida como PEC da Bengala. A proposta aumenta de 70 para 75 anos a idade de aposentadoria para ministros de tribunais superiores.

Leia tudo sobre: ministrocid gomeseduardo cunha

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas