Em clima de tensão, políticos se antecipam em apresentar defesa sobre acusações de envolvimento no esquema

O clima de tensão pré-lista tem dominado o Congresso e feito deputados e senadores a anteciparem suas defesas. O senador Ciro Nogueira (PP- PI), por exemplo, divulgou nota nesta terça-feira (3) informando que não tem nenhuma relação imprópria com os acusados nas investigações da Operação Lava Jato – cujo alvo é o suposto esquema de fraudes em licitação e pagamento de propinas instalados na Petrobras –, mas, caso algo seja provado contra ele, renunciará ao seu mandato. 

Em nota pública, senador do PP disse que jamais teve qualquer relação imprópria com investigados
Agência Brasil
Em nota pública, senador do PP disse que jamais teve qualquer relação imprópria com investigados

“Desde o início, agora e até o final desta circunstância política, mantenho e manterei uma única posição: jamais tive qualquer relação imprópria com qualquer dos acusados na Operação Lava Jato”, disse o senador em nota pública.

Leia mais:
Bolsonaro defende que PP expulse envolvidos na Lava Jato

Nogueira, no entanto, informou que caso apareçam provas contra ele, renunciará ao mandado. “Repito o que sempre sustentei [...], renunciarei se surgir qualquer prova objetiva que venha macular minha atitude como homem público", afirmou ele.

“Assumo mais uma vez este compromisso, porque tenho conciência plena de meus atos e sei que as acusações não têm base na realidade."

Leia também:
Em meio a tensão, políticos ensaiam discurso para responder à lista da Lava Jato
Operação Lava Jato: veja a lista dos políticos que podem estar envolvidos no esquema

Ciro Nogueira foi citado no depoimento do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e também no depoimento prestado pelo doleito Alberto Youssef durante as investigações conduzidas pela Justiça Federal no Paraná.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.