Ciro Nogueira diz que renunciará a mandato caso seja provada culpa na Lava Jato

Por Luciana Lima , iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Em clima de tensão, políticos se antecipam em apresentar defesa sobre acusações de envolvimento no esquema

O clima de tensão pré-lista tem dominado o Congresso e feito deputados e senadores a anteciparem suas defesas. O senador Ciro Nogueira (PP- PI), por exemplo, divulgou nota nesta terça-feira (3) informando que não tem nenhuma relação imprópria com os acusados nas investigações da Operação Lava Jato – cujo alvo é o suposto esquema de fraudes em licitação e pagamento de propinas instalados na Petrobras –, mas, caso algo seja provado contra ele, renunciará ao seu mandato. 

Em nota pública, senador do PP disse que jamais teve qualquer relação imprópria com investigados
Agência Brasil
Em nota pública, senador do PP disse que jamais teve qualquer relação imprópria com investigados

“Desde o início, agora e até o final desta circunstância política, mantenho e manterei uma única posição: jamais tive qualquer relação imprópria com qualquer dos acusados na Operação Lava Jato”, disse o senador em nota pública.

Leia mais:
Bolsonaro defende que PP expulse envolvidos na Lava Jato

Nogueira, no entanto, informou que caso apareçam provas contra ele, renunciará ao mandado. “Repito o que sempre sustentei [...], renunciarei se surgir qualquer prova objetiva que venha macular minha atitude como homem público", afirmou ele.

Nona fase da Operação da Lava Jato começou nesta quita-feira (5) e apreendeu grandes quantidades de dinheiro, 500 relógios e documentos. Foto: Polícia FederalNona fase da Operação da Lava Jato começou nesta quita-feira (5) e apreendeu grande quantia de dinheiro, 500 relógios e documentos. Foto: Polícia FederalSuspeito de ligação com Alberto Yousseff, Adarico Negromonte é preso pela PF, em novembro.. Foto: Cassiano Rosário/Futura PressO advogado da Queiroz Galvão, José Luiz de Oliveira Neto, em entrevista em novembro. Foto: Cassiano Rosário/Futura PressRoberto Brzezinski Neto, representante do escritório que defende Renato Duque na Operação Lava Jato, em janeiro. Foto: Cassiano Rosário/Futura PressNona fase da Operação da Lava Jato começou nesta quita-feira (5) e apreendeu grande quantidade de dinheiro, 500 relógios e documentos. Foto: Polícia FederalInvestigações da Operação Lava Jato . Foto: Fotos PúblicasGraça Foster e cinco diretores renunciam ao cargo na Petrobras
. Foto: Fotos PúblicasCosta e Cerveró entram em contradição na CPMI sobre corrupção na Petrobras. Foto: Fotos PúblicasCosta e Cerveró entram em contradição na CPMI sobre corrupção na Petrobras. Foto: Fotos PúblicasCosta e Cerveró entram em contradição na CPMI sobre corrupção na Petrobras. Foto: Fotos PúblicasCosta e Cerveró entram em contradição na CPMI sobre corrupção na Petrobras. Foto: Fotos PúblicasLilian Pinheiro visita o pai, Leo Pinheiro (presidente da OAS), em carceragem da PF, em janeiro. Foto: Futura PressAmigos e familiares do lobista Fernando Baiano o visitam em carceragem da PF em Curitiba (PR), em 21 de janeiro. Foto: Futura PressProcurador Deltan Dallagnol explica como era feita esquema de propina na Petrobras, em coletiva realiazada em Curitiba (PR), no dia 11 de dezembro. Foto: Futura PressSede do Ministério Público Federal, que investiga os desvios na Petrobras. Foto: Futura PressViatura da Receita Federal deixa prédio da construtora Camargo Correia durante operação Lava Jato, em 14 de novembro. Foto: Futura PressMalotes com documentos de detidos na Operação Lava Jato apreendidos pela PF em 14 de novembro . Foto: Futura PressPresidente da construtora UTC, Ricardo Pessoa, é preso pela PF em 14 de novembro de 2014. Foto: Futura PressPolícia Federal vasculha sede da OAS, uma das envolvidas em esquemas de propinas da Lava Jato, em novembro de 2014. Foto: Futura PressFuncionário manuseia obras de artistas brasileiros apreendidas pela PF na Operação Lava Jato, em 16 de maio. Foto: Futura PressPF apreende farta quantia de reais e dólares no Rio de Janeiro, em 17 de março. Foto: Divulgação/Polícia FederalPF apreendeu grande quantidade de dinheiro em cofre na cidade de Londrina, no Paraná. Foto: Divulgação/Polícia FederalEntre os crimes investigados estão contrabando de pedras preciosas e desvios de recursos públicos. Foto: DivulgaçãoSão cumpridas também ordens de seqüestro de imóveis de alto padrão, além da apreensão de patrimônio adquirido por meio de práticas criminosas. Foto: DivulgaçãoCarro de luxo apreendido pela PF. Foto: DivulgaçãoEntre os bens apreendidos, foram encontradas obras de arte no Paraná. Foto: Divulgação/PFPosto de combustível no DF onde foram feitas apreensões. Foto: Divulgação/PFOperação Lava Jato da Polícia Federal. Foto: DivulgaçãoDoleiro Alberto Yousseff segue preso por outras acusações 21 10 2014. Foto: Jeso Carneiro/Agência Senado

“Assumo mais uma vez este compromisso, porque tenho conciência plena de meus atos e sei que as acusações não têm base na realidade."

Leia também:
Em meio a tensão, políticos ensaiam discurso para responder à lista da Lava Jato
Operação Lava Jato: veja a lista dos políticos que podem estar envolvidos no esquema

Ciro Nogueira foi citado no depoimento do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e também no depoimento prestado pelo doleito Alberto Youssef durante as investigações conduzidas pela Justiça Federal no Paraná.

Leia tudo sobre: ciro nogueiraoperação lava jatopetrobras

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas