“Partido tem de buscar o poder”, diz Edinho Araújo sobre planos do PMDB

Por Marcel Frota e Luciana Lima - iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ministro da Secretaria de Portos da Presidência da República acredita que falta ao maior partido aliado do governo participação nas decisões

O ministro da Secretaria de Portos, Edinho Araújo (PDMB-SP), aposta em uma mudança de comportamento do PMDB caso a presidente Dilma Rousseff chame o vice-presidente, Michel Temer, para o chamado núcleo duro do Planalto. Para ele, falta ao maior partido aliado do governo participação nas decisões.

Na Câmara, PMDB busca se descolar do PT de olho em 2018

Lula entra em campo para ajudar Dilma com PMDB

Em entrevista ao iG, Edinho Araújo defendeu a entrada de Lula para compensar a dificuldade de diálogo do governo com os partidos aliados. Para ele, o momento é de dificuldades e, por isso, ouvir é importante para “salvar a economia”. “Eu ouviria todo mundo. Só salvando a economia é que se salva a política”, considerou.

Edinho Araújo defendeu que em 2016 o PMDB de São Paulo tenha sua candidatura própria, ao contrário dos que defendem apoio à reeleição do petista Fernando Haddad. “Partido tem que ter candidato”.

Leia também: Planalto tem dificuldade de retomar diálogo com PMDB após eleição de Cunha

O ministrou ainda falou das dificuldades enfrentadas nos portos brasileiros, entre elas a dificuldade de acesso terrestre às principais zonas portuárias. Para o ministro, o ajuste fiscal é necessário, mas que para que se recomece a investir em um futuro próximo.

Assista ao vídeo completo da entrevista:


Leia tudo sobre: edinho araújopmdb

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas