Norma institui o pedágio gratuito por eixo suspenso a caminhões vazios e perdão de multas por excesso de peso

Principal reivindicação dos profissionais que fecharam rodovias federais nos últimos dias, a Lei dos Caminhoneiros foi sancionada sem veto pela presidente Dilma Rousseff, nesta segunda-feira (2). A sanão integral da norma era uma demanda do setor.

Veja fotos dos bloqueios realizados nas rodovias do Brasil:

Foi o compromisso de sanção da lei que levou representantes de caminhoneiros a decidir encerrar as paralisações em estradas brasileiras ainda na semana passada, no dia 25 de fevereiro. Na tarde de sexta-feira (26), o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo afirmou que a greve estava encerrada, apesar de muito profissionais terem mantido o bloqueio a rodovias na ocasião.

Leia mais:
Governo foi alertado por aliados que caminhoneiros planejavam greve

Após o discurso, aos poucos a situação foi melhorando, apesar de ainda não ter sido totalmente resolvida. Na noite desta segunda-feira, a paralisação seguia em 23 pontos, nos Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Segundo o governo federal, um dos destaques do texto é o pedágio gratuito por eixo suspenso para caminhões vazios, além do perdão de multas por excesso de peso a caminhões nos últimos dois anos.

Leia também:
Bloqueios em estradas causam atrasos e reduzem movimento na Ceagesp
Caminhoneiros mantêm paralisação mesmo após anúncio de acordo com governo

"A partir de agora, os embarcadores da carga, ou seja, os contratantes do frete, serão responsabilizados pelo excesso de peso e transbordamento de carga. A lei garante também a ampliação de pontos de parada para caminhoneiros", explicou a presidência.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.