José Eduardo Cardozo terá de esclarecer motivo para ter se encontrado com advogados de presos da Operação Lava Jato

Agência Brasil

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse nesta quarta-feira (25) que está disposto a prestar esclarecimentos à Comissão de Ética Pública da Presidência da República sobre a audiência que advogados da empresa Odebretch tiveram com ele. Cardozo reforçou ainda que “constantemente parlamentares da oposição questionam ministros na comissão de ética” e que eles sempre respondem quando questionados.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo: ele afirma que não tem nada a esconder
José Cruz/Agência Brasil - ABr
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo: ele afirma que não tem nada a esconder

“O que eu posso dizer é que o comportamento que eu tive foi absolutamente legal, ético e, portanto, não tenho nada a esconder. A comissão de ética apreciará nossas razões e, com a necessária independência, avaliará o caso que não passou de uma grande especulação”, disse o ministro da Justiça.

Leia mais:
Cardozo confirma encontro com advogados de empresas investigadas na Lava Jato

Cardozo explicou que, a princípio, a explicação ocorrerá por escrito. Ele adiantou que, como justificativa, irá apresentar o texto da lei que exige que autoridades recebam advogados, além da ata da reunião e da sua agenda oficial.

Veja fotos da Operação Lava Jato da Polícia Federal:

Segundo o presidente da comissão, Américo Lacombe, o pedido de explicações feito a Cardozo ainda não significa a abertura de um processo administrativo disciplinar para apurar o caso.

Leia também:
Permanência de Cardozo no Ministério da Justiça suspende sucessão na PF

“A representação foi distribuída para a relatora, Suzana [de Camargo Gomes], que vai pedir informações. Aí vamos ver o que acontece. Ele tem dez dias para responder, podendo pedir uma prorrogação”, explicou Lacombe. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.